Impasse: professores de Campo Grande rejeitam proposta e não descartam greve

Educadores não acataram a proposta de 6,29%, e abono de R$200
| 08/02/2022
- 22:06
Assembleia rejeitou proposta do Município nesta tarde de terça-feira.
Assembleia rejeitou proposta do Município nesta tarde de terça-feira. - Fala Povo/Midiamax

Os profissionais da educação pública da Reme (Rede Municipal de Ensino) rejeitaram na tarde desta terça-feira (8), em assembleia geral realizada na sede da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública) a proposta apresentada pela Prefeitura de Campo Grande para reajuste salarial 2022.

Segundo o Presidente do Sindicato, Lucilio Nobre, os educadores rejeitaram a proposta do Executivo Municipal que propõe conceder abono de natureza indenizatória, no percentual de 6,29%, aplicado sobre a remuneração de servidor PH2A. O índice equivale a menos de 200 reais de aumento para todos os profissionais do quadro do magistério da Reme.

“A categoria entende essa proposta como um desrespeito aos profissionais do magistério, porque ela despreza a carreira e não contempla a integralização do piso salarial 20h. Nós rejeitamos veementemente a proposta da prefeitura e reafirmamos nossa defesa intransigente da lei do piso 20h”, afirma o presidente da ACP, professor Lucilio Nobre.

Conforme Lucilio, nesta quarta-feira (9), uma contraproposta será entregue ao de Campo Grande (PSD). Uma reunião da categoria com o Chefe-do Executivo também está programada para acontecer na manhã próxima segunda-feira (14).

Com o resultado da reunião, conforme o presidente da ACP, uma nova assembleia deve acontecer na manhã de terça-feira (15). “A categoria não descarta a possibilidade de uma paralisação se a contraproposta não for aceita pelo Executivo”, adiantou Lucilio.

Veja a contraproposta a ser aplicada à Lei Municipal n. 5/411/2014:

33,24% – em maio de 2022, o que corresponderia a 73,37% do Piso 2022;

36,29% – Prefeitura deve apresentar cronograma para cumprimento da diferença até 2024.

A proposta que visa a integralização do valor do piso nacional ao piso municipal, conforme estabelece a Lei Municipal n. 5.411/2014, será oficializada para a prefeitura nesta quarta-feira (9).

Veja também

Últimas notícias