A lista de manifestantes insatisfeitos com o resultado das eleições presidenciais deve contar com mais de 200 empresas nesta segunda-feira (7) em Dourados. Desde a semana passada os manifestantes estão concentrados em frente ao 28º Logístico de Dourados.

Conforme publicado pelo Jornal Midiamax na última terça-feira (1º), a convocação para ‘greve geral’ teve início com uma carreata que saiu do Trevo da Bandeira, na BR-163, em Dourados, onde os caminhoneiros fizeram bloqueio do acesso às cidades de Caarapó, Campo Grande e Ponta Porã. Os manifestantes percorreram as principais ruas de Dourados.

Os manifestantes pró-Bolsonaro montaram ‘QG’ em frente ao quartel do 28º Batalhão Logístico, usando o Centro de Tradições Gaúchas. Com muitas famílias reunidas, a orientação para quem participa é ‘estar em vigília pacificamente’. As ruas não chegaram a ser interditadas.

A manifestação nas proximidades do Aeroporto de Dourados acontece desde a quarta-feira (2), quando movimento inicial reuniu cerca de 30 mil pessoas e mais de 15 km de carreata, estimou organização. Da mesma maneira como ocorre na Capital, o ato não tem previsão de encerramento.

Na lista de adesões que prometem engrossar a ‘vigília’ nesta segunda-feira estão empresas representativas dos mais variados setores, como produtores rurais, comerciantes, concessionária de veículos, restaurantes, loja de roupas e calçados e até escritores de advocacia.

“A participação do empresariado douradense e também de outros segmentos da sociedade é uma demonstração de há muita gente indignada. Não estamos obrigando ninguém a aderir aos nossos protestos. Isso acontece de forma voluntária”, explica a proprietária de uma cerealista que tem sede em Dourados e também em outras cidades da região.