MS em chamas: Com mais de 4 mil incêndios florestais em 8 meses, Estado tem quatro pontos críticos

O comandante do CBMMS disse que o incêndio em Bela Vista, que chocou pelas imagens, foi controlado
| 23/08/2021
- 19:28
MS em chamas: Com mais de 4 mil incêndios florestais em 8 meses, Estado tem quatro pontos críticos
Marcos Ermínio, Midiamax

As altas temperaturas e baixa umidade do ar têm colaborado para que os incêndios florestais aconteçam em . Em oito meses, quase 4 mil incêndios em matas foram combatidos e MS enfrenta quatro pontos críticos.

[Colocar ALT]
Comandante Djan | Foto: Marcos Ermínio, Midiamax

Conforme informou o comandante do Corpo de Bombeiros em MS, coronel Hugo Djan Leite, entre janeiro e até esses 22 dias de agosto, foram combatidos exatos 4.029 incêndios florestais, o número já supera os combates do ano anterior.

“A competência de combater [os incêndios] é do Corpo de Bombeiros, mas os brigadistas e o exército também auxiliam. O Governo investiu R$ 56 milhões para a prevenção e combate de incêndios, neste ano os bombeiros estão mais preparados e a resposta está melhor que o ano passado”, disse.

Atualmente, MS enfrenta quatro pontos críticos de incêndios, concentrados no Pantanal Corumbaense, Aquidauana, Miranda e Bodoquena, que contam com 52 militares da operação Hefestus, mais 40 militares da cidade, além de seis viaturas e quatro aeronaves. As equipes estão há 52 dias combatendo chamas nessas regiões.

Sobre o incêndio em Bela Vista, o comandante disse que foi controlado e não foi gigantesco. “Não foi fora do comum, foi algo que já estamos acostumados, mas a imagem impactou muito. O efetivo do Corpo de Bombeiros atualmente é de 1.600 homens e se for necessário podem ser deslocados 800 homens para uma única região para combater os incêndios”, explicou o coronel.

Mais R$ 8,6 milhões para combates

O , por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), vai repassar mais de R$ 8,6 milhões para ações de combate a incêndios florestais no Mato Grosso do Sul. Os recursos serão destinados a sete cidades: Aquidauana, Bodoquena, Bonito, Corumbá, Jardim, Miranda e Porto Murtinho. 

Conforme o MDR, os recursos vão possibilitar o trabalho de bombeiros militares e outros profissionais pelo período de 90 dias.  "Recebemos orientação do presidente Jair Bolsonaro de priorizar as ações de combates a incêndios florestais em toda a região Centro-Oeste. Esses recursos que estamos liberando hoje vão possibilitar uma atuação mais forte no Mato Grosso do Sul pelos próximos três meses, de maneira a diminuir os danos ambientais e materiais decorrentes dessas queimadas", destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

O repasse da Defesa Civil Nacional será usado na compra de combustível para viaturas, barcos, aeronaves e equipamentos utilizados no combate aos incêndios florestais. Serão 5 mil litros de gasolina comum, 54 mil de óleo diesel, 13,6 mil de gasolina para aviação e 37,8 mil litros de querosene para uso em helicópteros.

Além disso, os recursos também serão usados na alimentação e hospedagem de 150 bombeiros militares envolvidos na operação de combate aos incêndios no Mato Grosso do Sul, além de contratação de aeronaves que darão apoio ao trabalho e locação de veículos para transporte de pessoal.

O Governo Federal vem realizando uma série de ações de preparação para a temporada de incêndios típica do período seco na região do Centro-Oeste. Em junho, o MDR organizou encontro virtual com representantes dos órgãos do Sistema Federal de Proteção e Defesa Civil e das Defesas Civis dos estados historicamente mais afetados pelas queimadas (Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul).

 

 

 

Veja também

Prefeitura de Campo Grande inicia novo trecho de obras na Rua Sete de Setembro, nesta...

Últimas notícias