Prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) descartou neste sábado (18) fazer arrocho nas medidas de liberação de serviços não-essenciais, apesar do aumento do número de casos do novo coronavírus na Capital, mas alertou que as pessoas precisam se proteger ao saírem de casa para evitar a contaminação pelo Covid-19.

“Não há crescimento geométrico da curva. Não há motivo para voltarmos a fechar serviços não-essenciais em Campo Grande. As pessoas ficarem ou não em casa é uma conduta individual. Mas todo mundo precisa entender que correm riscos ao estarem expostas na rua, circulando, principalmente sem os equipamentos de segurança, ou sem lavar as mãos. Tem que fazer higienização, manter distância”, defendeu.

Apesar de ter registrado 12 casos em apenas um dia, Marquinhos defendeu que o dado não indica que o isolamento social precisa ser ampliado. “Não temos um crescimento exponencial, mas sim linear. Estamos fiscalizando e tomando medidas para tentar equilibrar a vida das pessoas e a economia, conforme o presidente da República tem recomendado para a gente”, declarou, referindo-se a defesa de Jair Bolsonaro sobre afrouxamento das medidas de isolamento nas cidades.

Secretário da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro Pinto de Castro Filho afirmou que está baixa a procura por atendimento nos postos de saúde e que há leitos na cidade. “Temos certa tranquilidade. Temos outros parâmetros, não apensas testes. Precisamos tentar administrar a vida social das pessoas”, defendeu.

Casos em Campo Grande

Nesta sexta, a Prefeitura fez um alerta sobre o aumento de casos de coronavírus conforme aumenta o número de pessoas nas ruas. Com a redução da taxa de isolamento social, o número de casos de Covid-19 aumentou 75%.

Conforme informações da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), houve um aumento de 75% nas confirmações de coronavírus nos últimos 10 dias. O número de casos saltou de 48 para 84 na Capital. “O aumento é proporcional a redução na taxa de isolamento”, diz a Sesau. A taxa de isolamento de Campo Grande é de 44,1%.