Quem trabalha ou frequenta o prédio do Fórum da comarca de tem a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história do Poder Judiciário de MS na exposição itinerante do Tribunal de Justiça “Memória em Movimento do Poder Judiciário de ”, que está instalada nas dependências do Fórum e disponível para visitação, a partir desta sexta-feira (18). O lançamento contou com a participação de juízes e servidores.

A diretora do Departamento de Pesquisa e Documentação da Secretaria Judiciária, Maria Alice Correa da Costa, explica que o trabalho de montagem foi realizado durante esta semana. “Fomos prestigiados por magistrados e pelos servidores do Fórum de Coxim durante a montagem dos estandes e agora no lançamento”, disse Maria Alice, lembrando que exposição Memória em Movimento deve ficar disponível para a população de Coxim até fevereiro de 2020.

Saiba mais – A exposição foi apresentada, pela primeira vez, na comarca de Campo Grande, passando pelos prédios do Tribunal de Justiça, Fórum e Cijus. Em seguida, todo o material foi apresentado na comarca de Dourados, depois em Três Lagas, Corumbá, Maracaju e Ponta Porã.

Com o objetivo de divulgar sua história, desde 2017, ano em que o Estado de Mato Grosso do Sul completou 40 anos de divisão, o Tribunal de Justiça vem promovendo a exposição itinerante “Memória em Movimento do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul”.

A exposição é um resgate da história da Justiça sul-mato-grossense, da cultura e da população do Estado apresentando imagens, documentos, fatos e personagens históricos que, de alguma forma, contribuíram na construção do Poder Judiciário.

Os visitantes terão acesso a esse importante acervo com fotografias de prédios antigos, pessoas e momentos importantes, além de processos anteriores à separação do antigo Mato Grosso, com fatos curiosos que chamam atenção na atualidade, por seus relatos e pela dinâmica processual, um tempo em que a tecnologia da informação ainda não fazia parte da vida das pessoas, nem do Judiciário.

Fatos como a Guerra do e seus personagens, como Guia Lopes, Tenente Antônio João e Barão de Melgaço, assim como o Ciclo da Erva Mate, são muito bem retratados, por serem momentos que destacam o Estado na historiografia nacional.

Além disso, são apresentados processos com histórias curiosas, demonstrando como eram os crimes e as demais demandas da justiça no passado. Estão divulgados também casos pitorescos, como o do falso juiz, que atuou como magistrado em uma comarca do interior. Fotos do ato de posse do usurpador estão expostas neste trabalho. O desfecho desta história é surpreendente.

Todo o trabalho foi realizado por servidores do Poder Judiciário. A seleção do material foi feita pelo Departamento de Pesquisa e Documentação da Secretaria Judiciária. Os expositores e stands foram produzidos na marcenaria do TJMS, vinculada à Secretaria de Bens e Serviços, em parceria com a Secretaria de Obras. A divulgação e a elaboração das artes gráficas foram feitas pela Secretaria de Comunicação.

A proposta da exposição itinerante é percorrer todas as comarcas de Mato Grosso do Sul, mostrando um pouco da história para que se perpetue entre as gerações. A iniciativa é do Departamento de Pesquisa e Documentação da Secretaria Judiciária, em parceria com a Secretaria de Comunicação e com a colaboração das secretarias de Bens e Serviços e Obras.