Cotidiano

Com quase 100 anos, Bernabé acorda cedo para votar e acredita na democracia

Aos 99 anos, Bernabé Pavão não deixa de votar no candidato que acredita. Militar reformado, ele acordou cedo neste domingo (7) e se arrumou para comparecer à zona eleitoral. Para seu Bernabé, o voto não é obrigatório, mas se vestiu com elegância para cumprir o dever de cidadão. Bernabé é um senhor de poucas palavras […]

Mylena Rocha Publicado em 07/10/2018, às 09h58 - Atualizado em 16/10/2018, às 13h14

Bernadé, de 99 anos, se arrumou logo cedo e pretende votar a partir das 10 horas. (Foto: Minamar Júnior)
Bernadé, de 99 anos, se arrumou logo cedo e pretende votar a partir das 10 horas. (Foto: Minamar Júnior) - Bernadé, de 99 anos, se arrumou logo cedo e pretende votar a partir das 10 horas. (Foto: Minamar Júnior)

Aos 99 anos, Bernabé Pavão não deixa de votar no candidato que acredita. Militar reformado, ele acordou cedo neste domingo (7) e se arrumou para comparecer à zona eleitoral. Para seu Bernabé, o voto não é obrigatório, mas se vestiu com elegância para cumprir o dever de cidadão.

Com quase 100 anos, Bernabé acorda cedo para votar e acredita na democracia
Bernabé e Marina são casados há duas décadas. (Foto: Minamar Júnior)

Bernabé é um senhor de poucas palavras e fala com dificuldades, já que sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) em 2015. Entretanto, nem os problemas de saúde foram suficientes para impedir que o militar votasse para prefeito e vereador nas eleições de 2016.

Passados três anos desde o AVC, Bernabé ainda se recupera e conta com a ajuda de vizinhos ou de um dos nove filhos para levá-lo à zona eleitoral. “Votar é importante para ver se muda alguma coisa, tem muita roubalheira no país”, justifica.

Bernabé é casado com a dona de casa Marina Costa Pavão, de 62 anos, há quase 20 anos. Ela conta que o militar gosta de se informar e que e só os noticiários são capazes captar sua atenção. “Quando ele para quieto é quando assiste noticiário, senão fica desmontando a casa”, brincou Marina.

Ao se despedir, Marina prometeu que o militar deve comparecer às próximas eleições. “Nos vemos daqui dois anos”, disse.

Jornal Midiamax