Com líder islandês, uma organização criminosa do tráfico de drogas é alvo da Polícia Federal, na manhã desta quarta-feira (12), que cumpre mandados em 10 estados brasileiros. Foi feito pedido do sequestro de R$ 150 milhões da quadrilha, que tinha várias células espalhadas pelo Brasil.

Segundo a PF, a organização se subdividia em duas grandes células, com ramificações em várias cidades do país, principalmente em , e Rio Grande do Norte. São cumpridos 49 mandados de busca e apreensão e 33 mandados de preventiva. Também foi realizado o bloqueio de contas bancárias de 43 pessoas físicas, sequestro de 57 bens imóveis e de diversos veículos e embarcações.

No total, participam da cerca de 250 policiais federais. Durante as investigações, a Polícia Federal, com o apoio da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar de Santa Catarina, efetuou sete prisões em flagrante, apreendendo cerca de 65 quilos de cocaína e 225 quilos de skunk.

Ainda segundo a PF, um dos líderes da organização é um cidadão islandês residente no Brasil. Ele já era investigado pela Polícia Federal e pela polícia da Islândia. Foi feito um acordo de cooperação para a realização da operação entre a Polícia Federal com a polícia da Itália, por meio da Interpol, e com a Islândia, em coordenação com os escritórios de ligação junto à Europol. 

Entre os crimes apurados até o momento, estão a lavagem e ocultação de bens, organização criminosa e tráfico internacional de drogas com associação ao tráfico. As penas acumuladas desses crimes podem chegar a mais de 40 anos de prisão.

Mandados de busca e apreensão:

Em Santa Catarina são 10, em São Paulo são 13 mandados, no Rio de Janeiro foram 12 mandados, em Minas Gerais foram seis mandados, na Bahia são três mandados, Paraíba sendo um mandado, Rio Grande do Norte com dois mandados, Pernambuco com 1 mandado e com 1 mandado.

Mandados de prisão preventiva:

Em Santa Catarina são sete mandados, São Paulo 11 mandados, Rio de Janeiro são seis mandados, Minas Gerais são cinco mandados e Bahia são três mandados e Ceará com um mandado.