“Muitas economias em desenvolvimento precisarão do apoio da comunidade global em sua recuperação, pois enfrentam redução do espaço fiscal e aumento da carga de dívidas”, afirmou Georgieva, antes de destacar o anúncio do presidente da China, Xi Jinping, de que o país pretende destinar US$ 10 bilhões em SDRs em ajuda fiscal ao continente africano.

A diretora-gerente do Fundo ainda afirmou que “ações” do Partido Comunista para impulsionar a economia chinesa em meio à perda de força da recuperação também auxiliará a economia global.

Nesta segunda-feira, o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) informou que cortará a taxa de compulsório no país, em medida que deve liberar cerca de US$ 1,2 trilhão em liquidez.