O novo desembargador do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), Ary Raghiant Neto, falou sobre o cenário que o Brasil e Estado vivem após as eleições e afirmou que buscará acalmar a ansiedade das pessoas. O discurso ocorreu durante a cerimônia de posse realizada nesta terça-feira (29).

Ary Raghiant Neto começou agradecendo os presentes e destacou a forma como foi escolhido para assumir o cargo.

“Notadamente depois de obter de forma inédita todos os votos da lista sêxtupla, tenho certeza de que levarei comigo todo o aprendizado que está escola chamada OAB me ensinou”, enfatizou.

O desembargador também aproveitou o momento para destacar o papel das mulheres dentro e fora das instituições, disse que causa profunda quebra dos padrões e traz percepções novas.

“Essa foi a primeira lista sêxtupla paritária para desembargador”, disse Ary.

O presidente do TJMS, Carlos Eduardo Contar, parabenizou Ary. “Desejo que sua carreira neste tribunal seja tão próspera quanto foi na advocacia”, disse.

O também desembargador João Maria Lós, lembrou que Ary entra na vaga do desembargador com maior tempo de casa em MS e no Brasil.

Também afirmou que a vara que Ary assumirá “tem a finalidade de trazer visões distintas, do âmbito da advocacia” para dar novos ares para o tribunal.

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, esteve presente na solenidade.

Além disso, o presidente da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), Paulo Correia, o senador Nelsinho Trad (PSD), o Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, Alexandre Magno Benites de Lacerda, o presidente da OAB-MS, Bitto Pereira, estavam na solenidade.

Quem é Ary Raghiant Neto?

Anteriormente, em entrevista ao Jornal Midiamax, Raghiant disse que quer levar a experiência de 30 anos para a corte. “Levo minha experiência de 30 anos com uma atuação voltada às bandeiras de valorização do advogado. Temos que atender bem as partes”, disse.

Juiz do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) entre 2008 e 2012, ele defendeu as manifestações contra o resultado da eleição presidencial, mas avalia que o resultado deve ser respeitado.

“Como democrata por natureza, não havendo fraude comprovada, o resultado deve ser respeitado. As manifestações são legítimas, mas não concordo com tentativas de mudar a eleição”, avaliou.

Formado em Direito pela Fucmat (Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso) – atual UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) – em 1991, Ary Raghiant Neto tem 53 anos e é natural de Campo Grande.

É pós-graduado em direito tributário pelo IBET (Instituto Brasileiro de Estudos Tributários) e em direito constitucional pela ESA-MS (Escola Superior de Advocacia) e PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).

Agora, com 30 anos de carreira, é sócio nominal da RTM (Raghiant, Torres & Medeiros) Advogados. Na OAB-MS, foi presidente da 2ª Câmara de Seleção e Prerrogativas e conselheiro estadual nas gestões de Geraldo Escobar Pinheiro (2004/2006) e Fábio Trad (2007/2009).

Juiz do TRE-MS e professor universitário

Entre 2008 e 2012, foi juiz do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral). Ao mesmo tempo, foi ainda professor da ESMP (Escola Superior do Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e da Uniderp (Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal).

Em seguida, de volta à OAB-MS, disputou a presidência da entidade, mas não foi eleito. Em 2015, foi eleito conselheiro federal e representou o Estado no Conselho Federal da OAB entre 2017 e 2022. 

Por fim, foi eleito secretário-geral adjunto da OAB em 2019. Foi corregedor nacional da Ordem e representou a OAB no CNJ (Conselho Nacional de Justiça) até 2021. Até então, era sócio da RTM (Raghiant, Torres & Medeiros) Advogados Associados.