O novo organograma do governo de Mato Grosso do Sul, apresentado nesta terça-feira (6) pelo governador eleito Eduardo Riedel (PSDB), terá mudança na subordinação de quatro órgãos públicos. Ou seja, eles ficarão vinculados a secretarias diferentes do desenho atual.

A MSGás (Companhia de Gás) sai da Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura) – que vai virar Seilog (Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística) – para a Semadesc (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação) – a atual Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

A Funtrab (Fundação do Trabalho) deixa de ser vinculada à Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho) – renomeada para Sedhas (Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Assistência Social) – e passará para a Semadesc.

A Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer) deixa a subordinação da Segov (Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica) e a Fundtur (Fundação de Turismo) da Semadesc e passam para a Setescc (Secretaria de Estado de Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania) – atual Secic (Secretaria de Estado de Cidadania e Cultura).

Desenho do governo Riedel

No novo organograma, permanecem 11 secretarias de Estado. Algumas delas apenas mudam de nome, enquanto alguns órgãos mudam de alçada.

É o caso da SGI (Superintendência de Gestão de Informação), que sai da Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda) e vai para a Segov (Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica).

A SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização) mantém a sigla, mas a nomenclatura passa a ser apenas Secretaria de Estado de Administração.

Está prevista ainda a criação do cargo de secretário-executivo, abaixo do titular e do adjunto de cada pasta. As funções serão criadas principalmente nas secretarias que abarcam mais de uma área.