Eleições suplementares: em três dias, 8 mil eleitores vão às urnas escolher o novo prefeito de Angélica

Quatro candidatos estão na disputa
| 12/05/2022
- 08:29
Angélica terá eleições suplementares para prefeito
Angélica terá eleições suplementares para prefeito - Antonio Augusto/Ascom/TSE

No próximo domingo (15), 8.605 eleitores voltam às urnas para escolher o prefeito de Angélica, município distante 323 quilômetros de Campo Grande. Os candidatos são o interino Aparecido Geraldo Rodrigues Boquinha (PSDB), Roberto Cavalcanti (União), Francisco Soares Sobrinho (MDB), o Chico Bragança, e Edinho Cassuci (PDT).

Conforme resolução assinada pelo desembargador do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) Paschoal Carmello Leandro, as eleições suplementares ocorrem em razão de uma decisão da Justiça Eleitoral de março de 2021, que negou provimento a João Donizeti Cassuci (PDT), prefeito eleito sub judice. 

A decisão foi confirmada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), tornando assim definitiva a anulação dos votos obtidos pela chapa por ele integrada, a qual foi a mais votada no pleito de 2020. Atualmente, quem exerce o cargo de prefeito interino é o vereador Boquinha, presidente da Câmara Municipal de Angélica.

Chapas das eleições suplementares

São candidatos a prefeito nas eleições suplementares: Boquinha, com Omir Rogerio da Silva (Omir do João Bento) como vice; Edson Cassuci Ferreira (Edinho Cassuci, PDT), com Paulo Cezar Contiero Conconi (Paulo Conconi) de vice; Roberto Cavalcanti; e Francisco Soares Sobrinho (Chico Bragança, MDB), que tem Milton Motta Ramos (Mastigado) de vice.

O União precisou substituir o seu candidato a vice na chapa “Trabalho, Força e União”, encabeçada por Roberto Cavalcanti. Isso porque Roberto Maran não se filiou à legenda no prazo máximo previsto pela legislação. Por este motivo, o partido apresentou para ocupar a vaga Cleber Luiz Graciano (o Cleber Verdureiro).

Veja também

MS e outros estados questionam lei que pode reduzir preço da gasolina

Últimas notícias