Disponível para os eleitores, o Pardal recebe denúncias de propaganda eleitoral irregular e crimes eleitorais. A ferramenta pode ser utilizada no celular, em todos os municípios de e outros estados.

Os fatos reportados pelo Pardal chegam até o MP Eleitoral (Ministério Público Eleitoral). Vale destacar que o aplicativo é gratuito e pode ser encontrado nas lojas virtuais Apple Store e Google Play.

Com o aplicativo baixado, o eleitor deve identificar qual tipo de caso gostaria de reportar. Existem as propagandas eleitorais irregulares e outras irregularidades eleitorais. Para nosso passo a passo, vamos partir do ponto em que a ferramenta já esteja instalada no celular.

Foto: Reprodução/ Youtube/ Dicas Eleitorais.
  • O primeiro passo a ser tomado é identificar nas orientações do aplicativo qual é a possível irregularidade nas propagandas eleitorais que você quer reportar.
  • Após ver que o fato realmente é considerado irregular, vá até a página de denúncias no próprio aplicativo e selecione a opção de propaganda irregular.
  • Depois deste passo, informe seu estado e município.
Foto: Reprodução/ Youtube/ Dicas Eleitorais.
  • Agora basta selecionar uma opção de mídia, foto ou vídeo para registrar a possível irregularidade na hora. Ou então ‘Abrir Álbum' para selecionar uma imagem, vídeo ou áudio já salvo no celular.
  • O aplicativo tem um espaço para que seja descrita a realizada no Pardal.
  • O último passo é informar seu CEP e posteriormente seus dados. O aplicativo não recebe denúncias anônimas, porém o eleitor pode selecionar a opção de anonimato.

Os fatos reportados são cadastrados no Portal e distribuídos para a Justiça Eleitoral, conforme o município informado. A apuração dessas irregularidades é competência do MP Eleitoral.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é uma forma de garantir a participação popular na fiscalização e transparência das Eleições 2022. Além de propaganda irregular, os cidadãos podem reportar compra de votos; abuso de poder econômico; abuso de poder político e uso da máquina pública para fins eleitorais; e uso indevido dos meios de comunicação social.

No entanto, é preciso se atentar ao artigo 326 A do Código Eleitoral, que prevê pena de dois a oito anos de reclusão para quem realizar denúncias falsas com intuitos eleitorais.

Denúncia eleitoral

O Tribunal atualizou o Pardal para as Eleições 2022 para facilitar a integração com o PJe (Processo Judicial Eletrônico) da Justiça Eleitoral. Assim, poderão ser geradas estatísticas quanto às denúncias recebidas e tratadas.

Por fim, as atualizações também trouxeram melhorias na acessibilidade para os usuários e no sigilo das informações do eleitor, conforme prevê a LGPD (Lei Geral de de Dados).