Política

Presidenciável contraria fala de vice sobre lei trabalhista

O candidato Ciro Gomes (PDT) contrariou, nesta terça-feira (21), declaração dada um dia antes por sua vice, Kátia Abreu (PDT), de que ele não é contra a reforma trabalhista. “O que ela disse é que nós vamos, e é o que de fato eu sempre propus, revogar essa reforma trabalhista do Temer e substituí-la por […]

Folhapress Publicado em 21/08/2018, às 20h27

None

O candidato Ciro Gomes (PDT) contrariou, nesta terça-feira (21), declaração dada um dia antes por sua vice, Kátia Abreu (PDT), de que ele não é contra a reforma trabalhista.

“O que ela disse é que nós vamos, e é o que de fato eu sempre propus, revogar essa reforma trabalhista do Temer e substituí-la por outra que consulte o diálogo que eu quero promover entre os trabalhadores, os empresários, a universidade e a legislação internacional”, disse Ciro durante campanha em Guarulhos.

A senadora também afirmou haver “um mito que ele [Ciro] é contra a reforma trabalhista do jeito que foi feita”.

“Ninguém vai fazer uma revolução na lei trabalhista, ninguém vai desmanchar e destruir uma lei”, disse Kátia.

Depois, a senadora afirmou a jornalistas que as reservas de Ciro se restringem a oito pontos da reforma que o governo Temer, para garantir a aprovação no Senado, admitiu que poderia ajustar.

Ela ainda disse que Ciro não pensa “absolutamente em retroagir no imposto sindical, em normas que foram aprovadas para o bem”.

Nesta terça, Ciro ressaltou que a senadora votou contra a reforma trabalhista.

“Como ela pode ser a favor se ela voltou contra? Ela votou contra essa reforma trabalhista porque ela [a reforma] é selvagem. Ela levou quase 1 milhão de pessoas à informalidade no Brasil”, disse Ciro.

“O que nós queremos é substituir essa selvageria por uma coisa digna que proteja a força do trabalho. Tanto mais numa hora de 3,7 milhões de desempregados e 32 milhões de pessoas empurradas para viver de bico”, completou.

Ciro tem se posicionado contra a reforma trabalhista. Ele foi vaiado por empresários em julho em evento da CNI (Confederação Nacional da Indústria), onde disse que revogaria pontos da legislação.

Não é a primeira vez que Ciro e sua vice divergem publicamente. No início do mês, Kátia afirmou à Folha ser a favor da facilitação do porte de armas e contra o aborto. No dia seguinte, Ciro disse ter posições diferentes da vice.

“São posições diferentes, claro. Ora, mas você imagina que o vice pensa igual a mim? Qual vice pensa igual ao titular na história do Brasil?”, afirmou o pedetista.

Jornal Midiamax