‘População vai à Santa Casa por não acreditar nas UPAs’, diz Marquinhos

Prefeito visitou o hospital neste domingo
| 16/04/2017
- 18:44
‘População vai à Santa Casa por não acreditar nas UPAs’, diz Marquinhos

Prefeito visitou o hospital neste domingo

Ao realizar uma visita aos pacientes internados na Santa Casa, neste domingo (16), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) declarou que pretende fortalecer as UPAS (Unidades de Pronto Atendimento). Ele encontrou, nesta manhã, corredores lotados de doentes que aguardam vagas no hospital e disse que o problema seria melhor administrado se as pessoas procurassem os serviços de outras unidades de saúde. O prefeito acredita que as pessoas procuram o hospital, o maior do Estado, “porque não acreditam mais no atendimento das unidades”.

“Vamos fortalecer as UPAS para desafogar a Santa Casa. As pessoas sempre vão para Santa Casa quando poderiam ir a outras unidades. Santa casa é apenas para alta complexidade. A população não acreditam mais no atendimento desses locais por isso vai para Santa Casa”, declarou.

O prefeito complementou, afirmando que o problema da saúde “é herança do país que foi degringolando ao longo dos anos”.

UPAS sem atendimento

Nesta semana,  uma usuária da saúde pública municipal filmou um cenário de descaso na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Almeida, em Campo Grande. Ela percorre diversos consultórios, e o que as imagens mostram é um local sem médicos e profissionais.

“A minha gestão está tomando medidas para resolver esse problema, mas não vai ser do dia para noite, as pessoas têm que ter paciência”, afirmou o prefeito.

Convênio com a Santa Casa

Durante a vista, o prefeito ‘provocou’ o governo do Estado sobre a responsabilidade dos recursos que gerem o atendimento público na Santa Casa. “O problema da saúde é complexo, e a partir do momento que não houver integração entre governo do Estado e prefeitura, o problema tende a não se resolver”, declarou.

A Prefeitura de Campo Grande injetou R$ 6 milhões no convênio com a Santa Casa, oriundos de um repasse do governo do Estado, segundo uma publicação do Diogrande.

Por possuir gestão plena dos recursos da saúde na Capital, a Prefeitura ficará responsável por transferir o dinheiro concedido pelo governo estadual ao Hospital, divididos em doze parcelas de R$ 500 mil.

O convênio em questão foi assinado em 2015 pela administração municipal com a ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), que gerencia a Santa Casa, por R$ 242 milhões a serem repassados anualmente.

Além dos R$ 6 milhões, mais R$ 50 mil foram injetados no convênio direto dos cofres da Prefeitura, para "auxílio do custeio da produção de procedimentos oriundos do poder judiciário".

Na última semana, a Prefeitura e a ABCG já haviam assinado convênio prevendo o incremento de pelo menos R$ 3 milhões aos investimentos no Hospital. Por mês, o município paga R$ 20 milhões à Santa Casa.

Veja também

Licitação foi publicada pela prefeitura no Diário Oficial da União

Últimas notícias