Política

Audiências no TJ começam sem casal Olarte, mas com Cazuza e Pimentel

Audiência começou às 9h da manhã

Ludyney Moura Publicado em 22/01/2016, às 12h41

None
img-20160122-wa0026.jpg

Audiência começou às 9h da manhã

O vice-prefeito afastado, Gilmar Olarte, e sua esposa, Andrea Olarte, não devem comparecer ao TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), para o julgamento do processo onde ex-alcaide responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Até agora, pouco antes do começo da audiência, já estão no Tribunal de Justiça, o vereador Cazuza (PP) e o ex-secretário de governo do município, na gestão de Olarte, o advogado Rodrigo Pimentel, que até então não havia sido encontrado pela justiça. Ambos chegaram em silêncio.

A reportagem do Jornal Midiamax também foi informada de que o advogado de Gilmar Olarte, Jail Azambuja, já esta presente ao recinto, mas também não atendeu os jornalistas presentes. É dele a informação de que o cliente não irá comparecer ao Tribunal, uma vez que precisa aguardar o fim dos depoimentos das testemunhas. 

Além do ex-prefeito, figuram como réus no processo, seu ex-assessor, Ronan Feitosa e Luiz Márcio Feliciano, que à época dos fatos era ligado à igreja de Gilmar. O trio é acusado de um esquema de compra de votos para cassação de Alcides Bernal (PP), em 2014.

O advogado de Ronan, Hugo Melo Farias, revelou que o cliente só vai falar depois que todas as testemunhas arroladas no processo prestarem seus esclarecimentos à justiça, o que ainda deve demorar, já que a vice-governadora, Rose Modesto (PSDB), pediu adiamento de seu depoimento, alegando compromissos à frente do Governo do Estado.

O promotor Marcos Alex Veras, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), que denunciou o suposto esquema. Pelo MPE (Ministério Público Estadual) estão presentes os promotores Thales Franklin Souza e João Albino Cardoso.

Jornal Midiamax