O governador André Puccinelli (PMDB) ‘assumiu’ nesta sexta-feira (11) as obras do contorno ferroviário de Três Lagoas, reduto eleitoral da candidata peemedebista ao Senado, Simone Tebet. Ela foi eleita prefeita da cidade em dois mandatos e o projeto ficou parado por pelo menos dois anos com suspeitas de irregularidades.

A decisão de Puccinelli, a pouco menos de três meses das eleições, foi anunciada com direito a solenidade em um canteiro da obra, e com a promessa do governador de entregar o projeto finalizado ainda este ano.

Em diversas ocasiões, Puccinelli declarou ter feito o compromisso com o pai dela, Ramez Tebet, falecido em 2006, de elegê-la ao Senado.

A execução do contorno ferroviário, com custos estimados da ordem de R$ 40 milhões, ficou parada por pelo menos dois anos por conta de irregularidades. Ao anunciar a retomada do projeto, o governo estadual ostentou uma espécie de ‘atestado de lisura’.

Mesmo garantindo que fará campanha para a presidente Dilma Rousseff (PT) em MS, o governador fez críticas ao governo federal, por meio do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte), que acusou de ter emperrado a obra.

Na solenidade desta sexta, conforme divulgou o governo do Estado, Puccinelli mostrou documento no qual o MPF (Ministério Público Federal) exime o Executivo local de problemas relacionados à obra. O texto de divulgação oficial cita o seguinte trecho do documento da procuradoria: “até outubro de 2011, Mato Grosso do Sul cumpriu sua parte, que equivale a 66% da construção concluída”.

Além de pedir – e conseguir – a atribuição de terminar a obra, assumindo a etapa até então delegada ao governo federal, o governo estadual prometeu, caso necessário, aportar mais recursos para concluí-la. Segundo as informações oficiais, engenheiros, operários e máquinas começarão a trabalhar imediatamente.