O servente Walter Eduardo Ferreira foi condenado a mais de 14 anos de prisão na tarde desta quarta-feira (22), no Tribunal do Júri, em Campo Grande, após matar a Edijalma Hércules dos em uma conveniência no bairro Parque do Lageado em julho de 2022.

A sentença foi determinada pelo juiz Dr. Aluizio Pereira, que condenou Walter por homicídio qualificado – motivo torpe – com recurso que dificultou a defesa da vítima, a de 14 anos e 6 meses de prisão em regime inicial fechado. 

Durante o julgamento, o servente disse que agiu em legítima defesa, já que havia sido agredido por Edijalma dias anteriores e também no dia do crime. “Foi para assustar, não para matar. Achei que ele estava armado e ia me matar”, disse ao juiz.

O júri desta quarta-feira (22) começou com quase uma hora de atraso após uma confusão com relação à escolta de Wagner. Ele devia ter ido escoltado até o tribunal, porém isso não aconteceu. Então o juiz determinou que fossem buscá-lo, visto que o julgamento não seria adiado. Depois, o julgamento aconteceu normalmente.

Assassinato

O crime aconteceu na madrugada do dia 15 de julho do ano passado e, segundo Walter, ele foi até uma conveniência com a arma na cintura, e, logo em seguida, Edijalma, de 32 anos na época, chegou e disse: “Falei que não queria ver você por aqui, falei que ia te pegar”. Nesse momento, começaram as agressões e Walter caiu no chão. 

“Ele colocou a mão na cintura. Achei que ele estava armado e ia me matar, então atirei, não lembro se foram 3 ou quatro disparos. Quando vi ele correndo, joguei as balas no chão e fui embora para casa”, explicou.

Walter foi preso em flagrante em casa, junto da arma, um revólver.

Rua onde aconteceu assassinato (Foto: Reprodução/Jornal Midiamax)

Saiba Mais