O advogado que havia sido preso por atirar três vezes e furar um bloqueio de manifestantes na BR-060 no dia 31 de outubro de 2022, na cidade de Sidrolândia, a 70 quilômetros da Capital, foi suspenso pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) por 90 dias. Ele já havia sido liberado após pagar fiança de R$ 1,2 mil.

Conforme decisão da Comissão de Ética e Disciplina da OAB, durante o período da suspensão deve ser concluído o processo disciplinar. “O representado manteve conduta incompatível com a advocacia, ultrapassando os limites delineados no Código de Ética Disciplinar da OAB, atitude que afetou a honra e dignidade da classe”, afirma a decisão.

Ainda na delegacia, o advogado tinha relatado que agiu em legítima defesa, já que os manifestantes usaram pedaços de pau para depredarem seu carro, impedindo que ele furasse o bloqueio.

O advogado disse que ainda tentou argumentar falando que estavam cerceando seu direito de ir e vir, mas os manifestantes falaram que era ‘para um bem maior’. O advogado disse que tinha porte de arma e no seu carro foram apreendidos um carregador com 17 munições e um canivete.

A prisão

Ele teria ultrapassado as barreiras, atingindo alguns manifestantes que ainda estavam na pista. Segundo a PRF, alguns manifestantes que estavam mais próximos do veículo, se exaltaram e começaram a desferir chutes e lançar objetos no automóvel.

Foi então que o condutor sacou uma arma de fogo e realizou três tiros para cima. O motorista foi preso por disparo de arma de fogo em via pública.