O advogado preso por atirar três vezes e furar um bloqueio de manifestantes na BR-060, em Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande, no dia 31 de outubro, pagou fiança e foi colocado em liberdade. O advogado alegou legítima defesa.

Após a prisão, foi arbitrada fiança de R$ 1.200, que foi paga e o advogado colocado em liberdade. Na delegacia, ele disse que agiu em legítima defesa, já que os manifestantes usaram pedaços de pau para depredarem seu carro, impedindo que ele furasse o bloqueio.

O advogado disse que ainda tentou argumentar falando que estavam cerceando seu direito de ir e vir, mas os manifestantes falaram que era ‘para um bem maior’. 

O advogado disse que tinha porte de arma e no seu carro foram apreendidos um carregador com 17 munições e um canivete.

A prisão

Ele teria ultrapassado as barreiras, atingindo alguns manifestantes que ainda estavam na pista. Ainda segundo a PRF, alguns manifestantes que estavam mais próximos do veículo, se exaltaram e começaram a desferir chutes e lançar objetos no automóvel.

Foi então que o condutor sacou uma arma de fogo e realizou três tiros para cima. O motorista foi preso por disparo de arma de fogo em via pública.