Um dos suspeitos de torturar e cortar a língua de um homem, de 28 anos, no domingo (29) após o mesmo ser acusado de roubar um celular, no bairro Jardim Emília, em Campo Grande, alegou que a vítima invadiu sua residência e por isso teriam ocorrido os fatos. Ele terá que usar tornozeleira eletrônica e o outro suspeito foi liberado.

Durante audiência de custódia nesta terça-feira (31), o suspeito, de 25 anos, disse que a vítima invadiu sua residência, desferiu dois tapas em seu rosto e por isso o ‘quebrou na pancada’. 

O MPMS (Ministério Público de ) manifestou-se pela homologação do flagrante e que fosse convertida em preventiva. Já a defesa do suspeito pediu liberdade provisória em razão dos artigos 312 e 313 do Código Penal e caso seja condenado, solicitou que a fosse cumprida em regime aberto.

Ficou decidido que o suspeito cometeu o crime de lesão corporal grave. Porém, visto que ele não atende os requisitos para decretação da prisão preventiva, como bons antecedentes criminais, residência fixa e trabalho lícito, foi concedida sua liberdade provisória. 

No entanto, o rapaz deverá cumprir algumas medidas cautelares, como o uso de tornozeleira eletrônica por 90 dias, comparecimento em um grupo reflexivo com homens autores de violência doméstica e familiar por 16 semanas, proibição de manter contato com a vítima devendo permanecer distante 300 metros e comparecer pessoalmente e obrigatório em Juízo, mensalmente para informar e justificar sua ocupação e comprovar seu endereço.

O outro suspeito, de 42 anos, foi liberado após a justiça entender que não houve indícios que comprovem a lesão por parte dele. “Não há indícios de autoria e materialidade do delito de lesão corporal grave do delito acima tipificado, de modo que dispensável a manutenção de sua prisão. Ademais, trata-se de pessoa primária, de bons antecedentes, bem como informou possuir residência fixa e trabalho lícito”, consta no processo.

Tortura

A vítima e os suspeitos estavam em um bar bebendo por volta das 4 horas da manhã de domingo (29) e passaram a brigar devido a uma desavença. O rapaz foi agredido e tentou fugir dos suspeitos, mas acabou sendo alcançado.

Ele foi espancado com pedaços de ferro que ficaram com marcas de sangue. O homem teve dentes quebrados, a língua e dedos cortados e foi encontrado no meio da rua desorientado e ensanguentado. A vítima foi socorrida para a Santa Casa pelo

A dupla suspeita foi encontrada por equipes do GOI (Grupo de Operações e Investigações) em uma residência onde foram encontradas marcas de sangue na varanda e uma barra de ferro com respingos de sangue. 

Saiba Mais