O ex-namorado de Cleyde Mara Pereira Abrantes, de 44 anos, ligou para o irmão da vítima logo após matá-la a facadas, no dia 4 de novembro, e colocar fogo na casa da funcionária pública, em , a 120 quilômetros de

A sobrinha de Cleyde prestou depoimento após o crime e contou na que a tia manteve um relacionamento com o autor por cerca de 4 meses e que neste tempo terminou por várias vezes com o homem, que não aceitava o fim do namoro. 

Ainda segundo o relato da sobrinha, Cleyde estava assustada, já que estava sendo perseguida pelo ex-namorado. No dia 22 de outubro, a vítima estava em um torneio de funcionários públicos quando o homem apareceu no local querendo conversar com Cleyde que se negou. “Não quer falar, eu vou tomar providências, por bem ou por mal”, teria dito o homem.

Já no dia 23 de outubro, o autor ficou passando em frente à casa de Cleyde e a filha de 19 anos dela estava na calçada com amigos, quando o autor ficou xingando a jovem. No dia 26 de outubro, o autor foi até o local de trabalho de Cleyde, que pediu por medidas protetivas na delegacia com medo. 

Cleyde foi atingida no braço esquerdo e na altura do tórax. Segundo a equipe médica, ela chegou ao hospital com parada cardíaca e minutos depois acabou falecendo.

Morta esfaqueada

Por volta das 3h50, a atendeu à ocorrência solicitada pelo atual companheiro de Cleyde. Segundo o registro policial, o homem tinha cortes profundos nos braços, causados por faca usada pelo ex de Cleyde.

A equipe policial acabou prestando socorro ao homem e o levou até o hospital. No local, o companheiro de Cleyde disse que eles foram surpreendidos pelo ex da mulher, que entrou na residência dela e ateou fogo na sala e em uma motocicleta Biz.

O homem afirmou aos policiais que quando viu as chamas, tentou apagar o fogo. Neste momento, o ex se dirigiu até Cleyde e desferiu as duas facadas.

Assim, com apoio da Polícia Civil, a equipe da PM realizou rondas nas áreas do município e também em uma fazenda onde o autor, supostamente, poderia estar. No entanto, o homem não foi encontrado.

O caso foi registrado como feminicídio, violência doméstica e homicídio simples na forma tentada na Delegacia de Polícia de Nova Alvorada do Sul.

Saiba Mais