Foragido, acusado de matar rapaz após ser chamado de ‘talarico’ é condenado a 8 anos

Ele teve a prisão preventiva decretada
| 10/02/2022
- 22:11
Julgamento aconteceu nesta quinta
Julgamento aconteceu nesta quinta - (Arquivo, Midiamax)

Nesta quinta-feira (10), aconteceu o julgamento de Thiesero Luan Quevedo dos Santos, 28 anos, atualmente foragido. Ele é acusado de assassinar Vitor Hugo Gomes Fernandes, 20 anos, e deixar um outro rapaz ferido. Os crimes aconteceram em dezembro de 2016, em Campo Grande.

O Conselho de Sentença decidiu por condenar Thiesero pelo homicídio de Vitor Hugo, mas desclassificou o crime de tentativa de homicídio contra a outra vítima. Ele foi condenado a 8 anos, em regime semiaberto.

Conforme a sentença do Carlos Alberto Garcete, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, o réu foi condenado pelo homicídio doloso, também por lesão corporal e pelo porte ilegal de arma de fogo. Foi decretada a preventiva, já que ele está foragido do Sistema de Execução Penal.

Relembre o caso

Cinco dias após o crime, Thiesero se apresentou na delegacia. Segundo ele, o crime teria acontecido depois de uma ligação e uma série de ameaças por conta de uma suposta traição. Para a polícia, Thiesero contou que se envolveu com uma mulher em uma noite na boate. Logo após a ‘ficada’, ele recebeu uma ligação de Vitor Hugo, que alegou ter um relacionamento com a mesma mulher.

O rapaz relatou que na época, Vitor Hugo estava preso e descobriu o telefone dele através de conhecidos dentro do presídio. Na ligação ele foi chamado de ‘talarico’ e ameaçado de morte, assim que a vítima deixasse a cadeia.

Uma semana antes do crime, Thiesero relatou que estava na frente da boate, localizada na Avenida Bandeirantes, mesmo local onde o homicídio ocorreu, quando Vitor Hugo passou por ele e, simulando uma arma com as mãos, fez novas ameaças. Depois disso, ele comprou uma pistola .380 por R$ 1.500 e começou a andar armado.

No dia 16 de dezembro ele estava na mesma boate, quando a cena se repetiu: Vitor passou por ele e ‘atirou’ com a mão. Thiesero Luan então foi até o carro, pegou a arma que estava escondida e voltou para frente do estabelecimento. Foi então que a vítima, conduzindo uma motocicleta, se aproximou com o garupa de 21 anos.

O amigo de Vitor teria feito a ameaça de estar armado e Thiesero atirou, atingindo os dois rapazes. As vítimas foram socorridas e, no caminho para o hospital, o carro ainda se envolveu em um acidente. Vitor não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.

Veja também

Últimas notícias