Antes de morrer no hospital, Paulo ligou para o avô e disse que estava bem após acidente de moto

Ele teria sido atingido por um carro que invadiu a preferencial
| 20/07/2022
- 14:36
Antes de morrer no hospital, Paulo ligou para o avô e disse que estava bem após acidente de moto
Acidente aconteceu no Nova Lima - Foto: Nathalia Alcântara/Midiamax

Paulo Robson de Araújo Mendes, de 27 anos, chegou a tentar acalmar os familiares após sofrer um grave acidente na tarde de terça-feira (19), no Nova Lima. Ele morreu horas depois na Santa Casa, vítima de um traumatismo cranioencefálico grave.

Um comerciante da região que chegou a ajudar Paulo contou que o rapaz foi atingido por um carro que teria invadido a preferencial. Paulo pilotava a motocicleta pela Rua Nefe Pael, que é a preferencial, quando foi atingido pelo Peugeot, que estava na Eugênia Lima e era conduzido por uma mulher de 28 anos.

O cruzamento é sinalizado na horizontal e vertical, mas segundo o comerciante ali os são comuns e acontecem ao menos uma vez por mês, pela pouca visibilidade, principalmente pelo matagal nos terrenos ao redor. O de 53 anos contou que ajudou a socorrer Paulo após o acidente.

cruzamento - Antes de morrer no hospital, Paulo ligou para o avô e disse que estava bem após acidente de moto
Local é sinalizado - Foto: Nathalia Alcântara/Midiamax

“Ele estava andando e conversando e eu falava: senta Paulo. Ele estava com o capacete, mas a pancada foi violenta”, contou. Após o acidente, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamado, mas com a demora a mãe de Paulo chegou ao local e levou o filho ao CRS (Centro Regional de Saúde) do Nova Bahia.

Antes de ser socorrido, o rapaz chegou a telefonar para o avô, para dizer que estava bem. Ele foi transferido para a Santa Casa de Campo Grande e não resistiu ao ferimento, falecendo na manhã desta quarta-feira (20).

A motorista de 28 anos foi socorrida e levada pelo Samu para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Coronel Antonino. O caso foi registrado na delegacia como morte a esclarecer, mas pode ser tratado como homicídio culposo na direção de veículo automotor.

Veja também

Últimas notícias