Nunca se falou tanto em e na teledramaturgia brasileira. Desde 2022, o fenômeno do remake de “” trouxe à luz a Capital e o Estado, e agora, pelo segundo ano seguido, uma outra novela continua dando destaque para a região do Centro-Oeste mais confundida com Mato Grosso. Porém, como essas obras de ficção têm representado a Capital Morena? Qual é o espaço definitivo de Campo Grande nos folhetins, e como a cidade já foi descrita e mencionada pelos mesmos?

Prestes a completar 124 anos no próximo sábado, 26 de agosto, Campo Grande, até então, tem sido representada “por voz” nas novelas brasileiras. É que, nas poucas tramas ambientadas em MS, a cidade ainda não “deu às caras”, apenas foi citada pelos personagens.

Em 45 anos da criação do Estado e, portanto, há 45 anos como Capital do mesmo, os brasileiros que adoram telenovelas só ouviram falar na cidade morena e ainda não foram contemplados com as belas imagens do município e nem com uma obra que mostrasse rotinas e costumes dos campo-grandenses.

Faz diferença?

Desse modo, diante das duas oportunidades mais recentes, no caso, “Terra e Paixão” e “Pantanal”, obras que contam suas histórias em Mato Grosso do Sul, os campo-grandenses notaram a ausência de takes e até uma trama paralela acontecendo em Campo Grande, como é costume de novelas com pegada regional ambientarem algum núcleo na Capital do Estado representado. Contudo, ambas preferiram levar personagens para o do que para a cidade morena in loco.

Por isso, na onda da celebração dos 124 anos de Campo Grande, o Jornal Midiamax conversou com alguns campo-grandenses e representantes da dramaturgia local, bem como com quem estuda a ficção, para comentar o assunto.

Na prática, faz alguma diferença para os moradores o fato das novelas nunca mostrarem e só falarem de Campo Grande, ou isso, no fundo, não tem impacto e relevância alguma para a sociedade campo-grandense?

Campo grande em novelas
Atores de “Terra e Paixão” e “Pantanal” nos bastidores das novelas em Mato Grosso do Sul – (Fotos: Arquivo Pessoal)

Campo Grande em Pantanal e Terra e Paixão

Nas duas novelas, a Capital de Mato Grosso do Sul tem lá seu destaque – dado pela voz dos personagens. Nos dois casos, Campo Grande “aparece” mencionada pelas figuras como um polo ao qual o interior recorre. A representação corresponde à realidade quando vemos protagonistas buscando a Capital para uma ida ao médico, às compras e serviços gerais. Fora das telas, os sul-mato-grossenses de todas as partes do Estado realmente fazem isso.

O problema, para alguns moradores, é que quando levaram personagens para a cidade, esses folhetins optaram por representar a Capital dentro de estúdio. Até aí, nada espinhoso, se as tramas veiculassem ao menos imagens aéreas de ambientação do município, fato que não ocorreu. A denominada “Campo Grande fake” então tomou conta em alguns casos emblemáticos e foi suficiente para que os campo-grandenses cobrassem uma aparição representativa.

Isso porque, em outras novelas regionais, a TV costuma mostrar imagens reais de cidades quando os personagens se deslocam para as metrópoles em questão. Como, por exemplo, em “Mar do Sertão”, novela das seis finalizada em março de 2023.

A trama era ambientada na fictícia Canta Pedra, no sertão nordestino, e quando Candoca (Isadora Cruz) e Zé Paulino (Sérgio Guizé) iam até a Capital, a TV Globo veiculava takes da famosa cidade de Petrolina, em Pernambuco, para representar a Capital visitada pelos protagonistas.

Campo Grande “fake” nas novelas

“Terra e Paixão” e “Pantanal” também tiveram seus personagens indo para a Capital de MS, mas, diferente de “Mar do Sertão” (transmitida na mesma época, inclusive), as tramas não exibiram imagens de Campo Grande para ambientar as cenas, apenas sequências gravadas em estúdio que simulavam a capital morena.

Será que Campo Grande não tem nada de especial para ser mostrado? Aos olhos dos responsáveis por essas produções, seria muito caro e desnecessário realizar imagens nessa cidade? E para os campo-grandenses, existe o sentimento da “exclusão” ao ver duas novelas seguidas ambientadas em Mato Grosso do Sul, citando a Capital sem parar e não exibindo nem uma foto?

Campo grande em novelas
“Terra e Paixão” simulou Aeroporto de Campo Grande nos estúdios – (Fotos: TV Globo, Reprodução)

Ator que esteve em Pantanal comenta sobre a representação da Capital nas novelas

O ator André Tristão, de 35 anos, é um dos representantes do cenário artístico de Campo Grande. Ele que, inclusive, fez uma participação especial no remake de “Pantanal”, comenta a representação de CG nas novelas ambientadas no Estado.

“É uma questão muito particular de quem produz e da viabilização da produção! Às vezes, não faz diferença na trama uma vinda pra cá, principalmente quando se passa no interior. Ou até mesmo por questão de logística e técnica, não compensa acontecer aqui, por não termos o suporte técnico necessário”, pontua Tristão.

O ator ainda argumenta. “Agora, se a trama se passasse de fato na Capital em sua maioria e fosse necessário para a produção termos locações aqui, sem dúvida nenhuma teria acontecido. No mais, está tudo certo”, diz ele.

“É um apagamento da nossa cidade”, diz pesquisadora de MS

Jornalista e pesquisadora da representação de Mato Grosso do Sul em “Pantanal”, Camila Barbieri, de 27 anos, lamenta o tratamento diferenciado que Campo Grande tem recebido nos últimos folhetins com histórias locais. Sobre o fato da Capital não sair da boca dos personagens, mas não aparecer nas tramas, ela argumenta:

“É um apagamento da nossa cidade. Pra eles, só interessa o que eles acham que vai chamar atenção do público. Talvez, eles acham que Campo Grande não tenha nada demais, não seja bonita o suficiente, não tenha pontos turísticos legais pra representar… Claro que não sei realmente se é isso, mas é o que vejo”, observa.

Camila também confessa que, quando acompanhava “Pantanal” e os personagens vinham para Campo Grande, ficava na espera de uma aparição. “Realmente, eu ficava na expectativa. ‘Será que vão mostrar a cidade?' Porque tem um público que gosta de se ver na TV, fico pensando nas pessoas que gostam disso, assistem à novela e pensam ‘será que eles filmaram na hora que eu estava aparecendo?' Então, você fica na expectativa de estar ali”, reflete.

“Eles citam Campo Grande, mas é como se Campo Grande não existisse por não estar lá”, conclui a pesquisadora.

Ainda sobre o tema, o ator André Tristão vê de maneira positiva a representação, mesmo que apenas em citações. “A gente fica com esse sentimento de orgulho, de ser lembrado, de ser citado. Então, acho muito positivo”, acrescenta ele.

Cenas do remake de "Pantanal" que reapresentaram os personagens em Campo Grande - (Fotos: TV Globo)
Cenas do remake de “Pantanal” que reapresentaram os personagens em Campo Grande – (Fotos: TV Globo)

Opiniões de campo-grandenses sobre Campo Grande “tão apagada” nas novelas

É claro que a “exclusão” imagética de Campo Grande nesses folhetins tem provocado debates a respeito, especialmente nos sofás das salas de MS, mas também nas redes sociais. Diante disso, alguns campo-grandenses manifestam seu sentimento.

Para a dona de casa Maria Consuelo Ferreira, de 44 anos, a ausência da Capital causa frustração. “Assisti ‘Pantanal' e assisto essa [Terra e Paixão]. Acho lindo ver nosso MS, fico emocionada. E como sou de Campo Grande, moro aqui, quando eles falam na cidade a gente em casa fica doido. Mas, realmente, uma passada pela Feira Central, o Aquário, ou umas imagens do Parque das Nações ia ser bem legal”, comenta.

Aposentado, o ex-serralheiro Nilton da Silva, de 56 anos, também tem acompanhado as novelas ambientadas em Mato Grosso do Sul e não gosta do fato das mesmas falarem tanto de Campo Grande, mas não mostrarem a cidade. “Eles tinham que mostrar. De certo acham que nossa capital não tem nada de bom. Não sei porque falam tanto se não mostra”, diz ele.

Já o social media Cleber Moreira, de 25 anos, não vê a menor diferença na retratação. “Tanto faz pra mim, porque as novelas não são em Campo Grande, são no interior. Não tem obrigação de mostrar a cidade, o povo que reclama demais. A Globo já está fazendo duas novelas aqui, o tanto de visibilidade que trouxe… Mostrar Campo Grande ou não, não faz diferença nisso, tinham é que agradecer”, considera.

Veja algumas opiniões de internautas nas redes sociais:

Novelas colocam Campo Grande no mapa: “eu existo”

Em quase 124 anos de emancipação e há 44 como Capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande ainda não teve um espaço consolidado na teledramaturgia brasileira. Entretanto, em comparação com outras capitais dos estados do Brasil, o fato de apenas ser mencionada já representa um ponto no mapa, um sinal de “estou aqui, existo”, já que há capitais muito menos mostradas ou citadas em produtos de ficção da TV aberta nacional.

Quando optam por apenas citar o município, as novelas obrigam o telespectador a imaginar essa Campo Grande tão mencionada e, assim, a Capital fica no âmbito da imaginação pessoal daqueles que não conhecem a cidade. É a Campo Grande imaginária, desenhada nas mentes de cada telespectador ao seu modo, conforme cada um tenta encaixar os personagens nas atividades que eles comentam fazer pelo município.

Ainda que não correspondam 100% às expectativas locais, as representações dão visibilidade à cidade e, de alguma forma, mostram que ela existe. Além disso, é importante frisar que há capitais, tanto as mais antigas quanto as mais novas, que tiveram ainda menos chances na teledramaturgia nacional.

Sendo assim, “Terra e Paixão” e “Pantanal” abriram as porteiras da ficção brasileira para Mato Grosso do Sul. Até então, só novelas rurais foram ambientadas no Estado, mas com a entrada para o cenário, quem sabe uma história urbana possa vir num futuro próximo e, assim, Campo Grande finalmente ter seu “momento de glória” e brilhar nas telinhas dos brasileiros.

Relembre 5 vezes em que Campo Grande foi mencionada ou mostrada de modo “fake” nas novelas “Pantanal” e “Terra e Paixão”

Fale com o WhatsApp do MidiaMAIS!

Tem algo legal para compartilhar com a gente? Fale direto com os jornalistas do MidiaMAIS através do WhatsApp.

Mergulhe no universo do entretenimento e da cultura participando do nosso grupo no Facebook: um lugar aberto ao bate-papo, troca de informação, sugestões, enquetes e muito mais. Você também pode acompanhar nossas atualizações no Instagram e no Tiktok.