Dois americanos, detidos há dois anos no Irã sob acusação de espionagem, foram condenados a oito anos de prisão, anunciou neste sábado (20) o site do canal de televisão estatal, citando fonte judicial.

Shane Bauer e Josh Fattal, de 29 anos, receberam sentença de três anos de prisão por terem entrado ilegalmente no Irã e de cinco anos por “espionagem para uma agência americana”.
Bauer e Fattal foram presos em 31 de julho de 2009 junto com a também americana Sarah Shourd na fronteira entre o Iraque e o Irã.

O julgamento aconteceu a portas fechadas e à revelia de uma das acusadas, Sarah Shourd, que voltou aos Estados Unidos depois de ser libertada sob fiança por motivos de saúde, em setembro de 2010.

Os três americanos tinham saído para uma caminhada no Curdistão iraquiano – região montanhosa e árida na divisa com o Irã, onde a fronteira fica pouco visível – e foram presos por entrar ilegalmente em território iraniano. Eles afirmaram ter entrado no país por erro, depois de se perderem.

Os Estados Unidos desmentiram categoricamente as acusações de espionagem contra seus três cidadãos e exigiram sua libertação.