O PIB (Produto Interno Bruto) pode crescer entre 4,0% e 5,0% em 2022, conforme estimado pela Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócios (Sidagro). Segundo os dados municipais, existe crescimento sólido nas atividades comerciais em todo o Mato Grosso do Sul e, nesse cenário, a Capital tem elevado a economia, visto que representa 40% do comércio e dos serviços do Estado.

Conforme pontuado pela Sidagro, a expectativa de vendas para o fim do ano começa a despontar novas oportunidades de trabalho.

Para Mariza Fonseca, vendedora de uma loja de cosméticos no centro da cidade, o movimento já começou, o que já é esperado neste período.

“Já vem aumentando e em dezembro é bem mais, por isso a gente busca trazer mais colaboradores para juntos rendermos mais as vendas, e ao mesmo tempo trazer novos talentos para a empresa”, diz.

Indicadores

Um dos indicadores desse movimento é o ISSQN (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza). O tributo é um importante índice de mensuração da atividade econômica local, e vem demonstrando um crescimento robusto em comparação ao ano anterior.

De janeiro a setembro de 2022, foram arrecadados mais de R$ 374 milhões com ISSQN comparado aos R$ 317 milhões de 2021, um crescimento real aproximado (descontada a inflação do período) de 10,9% evidenciando um ano com franca recuperação da atividade econômica no principal segmento econômico de Campo Grande, o de serviço.

Segundo os dados, setor é o principal motor da economia de Campo Grande, com um peso de 71,91% na economia municipal e 54,60% na economia estadual, avançou 11,6% no acumulado de 2021, enquanto as atividades comerciais registraram crescimento de 11,5%.

Após registrar recorde na geração de postos formais de trabalho em 2021 (+ 13.345), Campo Grande criou mais 1.245 vagas em setembro deste ano, sendo a maior parte no comércio (533), seguido por serviços (512) e indústria (143). O acumulado de 2022 já ultrapassa as 12,7 mil novas vagas.