Pelo menos dois candidatos passaram mal e precisaram ser socorridos ainda na pista por uma ambulância durante a corrida do TAF (Teste de Aptidão Física) do concurso da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, que ocorreu na manhã deste sábado (05). Outros dez caíram na pista e, por serem casos menos graves, precisaram de apoio somente na hidratação.

De acordo com a assessoria de comunicação do Idecan (Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional), banca organizadora do certame, no período entre 07h30 e 11h30 foram realizados 12 atendimentos, após o de cada bateria.

Um candidato precisou de hidratação dentro da UTI móvel, mas de acordo com a assessoria ele está consciente e conversando com a equipe médica. No local, há duas UTIs e uma ambulância. 

A prova aconteceu no Centro Olímpico da Vila Nasser e alguns candidatos chegaram meia-noite no local de prova para fazer a corrida em um horário mais fresco. Contudo, há registros de concurseiros passando mal antes das 08h. 

Campo Grande está sob alerta de baixa umidade do ar, variando entre 10-20%, semelhante a de deserto. A temperatura na Capital, neste sábado, pode chegar aos 33ºC. 

O último candidato que precisou ser socorrido ainda na pista, por volta de 11h18, foi gravado cambaleando até que caí no chão. O vídeo mostra que algumas pessoas que acompanhavam o rapaz ao lado da pista se agacham e em seguida aparece uma ambulância. 

“Ele estava em primeiro e não conseguiu chegar no final”, contou ao Midiamax uma pessoa que acompanhava a prova.

Este sábado é o último dia de provas do TAF. No período da tarde, a partir das 14h30, os candidatos serão testados na parte de flexão e abdominal. Essa etapa ocorre no Ginásio Dom Bosco. 

A previsão é que o resultado do TAF seja divulgado em 31 de agosto.

Morte durante prova

O candidato do concurso da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Arthur Matheus Martins Rosa, de 25 anos, morreu após passar mal na prova do TAF (Teste de Aptidão Física), na quinta-feira (3).

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela família, o candidato teria ficado 7 horas sem comer e beber água.

Arthur é de e a irmã dele contou na que recebeu uma ligação na quinta-feira (3) informando que o irmão havia passado mal durante a etapa do concurso e que havia sido socorrido para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Coronel Antonino, em .

O concurseiro foi transferido para o Hospital do Pênfigo, mas acabou não resistindo e morreu. De acordo com a irmã de Arthur, outros candidatos falaram para ela que eram proibidos de beber água e se alimentar depois de entrar no local para esperar o início da prova.

Arthur teria chegado ao local do TAF por volta das 6 horas da manhã e ficou cerca de 7 horas sem comer ou beber água, até às 13 horas debaixo de um sol de 37°C. O caso foi registrado como morte natural.

Já neste sábado, os candidatos puderam correr levando uma garrafa com água.