O Programa Mais Médicos, do Ministério da Saúde, abriu 52 vagas em Mato Grosso do Sul, que estão distribuídas em 16 municípios do Estado. O programa federal surgiu para levar atendimento assistencial para regiões que tem algum tipo de vulnerabilidade.

A expectativa do é chegar até o fim do ano com 28 mil profissionais do Mais Médicos atendendo em todo o país, principalmente nas áreas de extrema pobreza.

Confira as vagas por cidades em Mato Grosso do Sul:

As oportunidades foram abertas para repor vagas ociosas dos últimos anos. Cerca de 45% das vagas estão em regiões de vulnerabilidade social e têm histórico de dificuldade no provimento de profissionais. 

Como se inscrever?

Os médicos interessados podem se inscrever da próxima sexta-feira (26) até o dia 31 de maio. Os profissionais brasileiros e formados no país terão prioridade, mas quem se formou no exterior ou é estrangeiros também pode participar do processo seletivo.

A previsão de atuação dos selecionados até fim de junho. Para se inscrever basta acessar o Sistema de Gerenciamento de Programas. Após a validação da inscrição, de 01 a 05 de junho, os candidatos poderão indicar até dois locais de atuação da sua preferência.

mais médicos
Programa Mais Médicos (Foto: Alejandro Zambrana/ Ministério da Saúde)

Critérios

Na alocação dos profissionais, serão considerados critérios relacionados à titulação, formação e experiência prévia no projeto. E, para desempate, terão prioridade os candidatos de residência mais próxima do local de atuação no Mais Médicos, os com maior tempo de formado e os de maior idade.

As melhorias também alcançaram os Dseis (Distritos Sanitários Especiais Indígenas) que garantiram a presença do profissional médico nas equipes que atuavam com as comunidades.

Programa Mais Médicos

Uma das novidades é a oportunidade de especialização em Medicina de Família e Comunidade e mestrado em Saúde da Família. Levantamento feito pelo Ministério da Saúde aponta que 41% dos participantes do programa desistem em busca de capacitação e qualificação.

A Portaria Interministerial da Saúde e da Educação, publicada na última quinta-feira (18), define como ocorrerá a formação dos profissionais, com ofertados por instituições de educação superior, além de componentes assistenciais de integração e serviço. Serão 44 horas de carga horária nos cursos de aperfeiçoamento lato ou stricto senso, sendo 36 horas semanais dedicadas às atividades assistenciais e oito horas para atividades de formação.

Os profissionais também passarão a receber incentivos, proporcional ao valor da bolsa, pela permanência no programa e para atuarem em regiões de vulnerabilidade. Os médicos alocados nessas regiões, ao permanecerem por 48 meses no programa, poderão receber incentivo de R$ 120 mil – equivalente a 20% do total recebido no período.

mais médicos
Programa Mais Médicos (Foto: Karina Zambrana/ Ministério da Saúde)

Fies e gestantes

Para atrair médicos formados com auxílio do FIES (Financiamento Estudantil), esses profissionais, de acordo com critérios de localidade, tempo de atuação e valor da dívida, poderão receber até R$ 475 mil de incentivos.

Além disso, aqueles que se tornarem mães durante o período de atuação no programa terão direito a licença maternidade de seis meses, com complemento do valor pago pelo para alcançar o valor da bolsa do Mais Médicos. O mesmo benefício se estenderá aos médicos que se tornarem pais, com direito a 20 dias de licença.

O novo edital modificou o tempo de atuação dos profissionais de três para quatro anos, podendo ser prorrogáveis por igual período.