Manter a hidratação será essencial em Mato Grosso do Sul durante essa semana, já que a previsão do tempo indica altas temperaturas que podem ultrapassar 43°C. Um bloqueio atmosférico irá favorecer uma intensa onda de calor que atinge todo o Brasil.

A umidade relativa do ar também estará no nível de alerta, segundo o (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), o índice varia de 10 a 20%. É esperado que os termômetros marquem recorde de calorão nos próximos dias.

A meteorologia, no entanto, não descarta pancadas de chuvas e tempestades acompanhadas de raios e rajadas de vento devido ao aquecimento diurno, ou seja, calorão de 40°C durante a manhã e tarde e possibilidade de chuva no fim do dia.

A análise do Cemtec indica que na terça (19) e quarta-feira (20), há possibilidade de chuvas na região sul e sudoeste, como Ponta Porã e Porto Murtinho, nas demais regiões o sol predomina. Na região norte e pantaneira, as mínimas variam de 22°C a 25°C e máximas de 34°C a 37°C.

No bolsão, Três Lagoas e podem pontuar mínimas de 22°C a 23°C e máxima de 37°C. No leste, Anaurilândia e região terão variação de calor e nebulosidade, com máxima de 36°C. Ao sul, terá altas temperaturas de até 37°C.

Nesses dias, poderá atingir recorde do ano em calor, com possibilidade de chegar a 37°C na quinta-feira (21). A umidade do ar permanece em situação de atenção.

Os atuam de leste/nordeste com valores entre 40 e 60 km/h e, pontualmente, podem ocorrer rajadas de vento com valores acima de 60km/h.

A tendência meteorológica até o dia 28 de setembro mostra que estão previstos acumulados de chuvas de até 30 a 60 mm, com os maiores acumulados para as regiões central, sudoeste, sul e sudeste do estado de Mato Grosso do Sul.

Onda de calor no Brasil atinge 45°C

De acordo com o Cemtec-MS (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), o calor extremo se deve à atuação de um bloqueio atmosférico, aliado à atuação do El Niño.

Ainda conforme a previsão, a região do Pantanal é onde ocorrerão as maiores temperaturas durante a onda de calor. Segundo autoridades, em relação à saúde, é necessária muita hidratação e cuidados com a exposição ao sol.

Por influência do fenômeno El Niño, que eleva as temperaturas e ocasiona mais chuvas, os termômetros podem ficar próximo dos 40°C em agosto. Além da hipertermia, a  prolongada ao calor e a baixa umidade podem levar à desidratação, insolação e exaustão pelo calor.