No próximo dia 28 de junho é celebrado o Dia do Orgulho LGBT+, uma data símbolo dentro do movimento, que se iniciou em junho de 1969 com a Revolta de Stonewall, nos Estados Unidos. Campo Grande e Dourados terão programação especial para marcar a semana, que tem como tema “Amar é um direito de todos”. 

“Temos uma Semana do Orgulho LGBT com lançamento de cartilhas e seminários, e a inauguração do espaço físico do Centro Estadual de Cidadania LGBT+, no dia 28 de junho às 17h30, no prédio da Secretaria de Cidadania e Cultura”, explica Leonardo Bastos, subsecretário de Políticas Públicas LGBT.

22 de junho – Seminário de Políticas Públicas para mulheres LBTs

Horário: 7h às 11h30

Local: Auditório do Bioparque (Afonso Pena, 6277)

23 de junho – Seminário Estadual de enfrentamento à Violência LGBTfóbica

Horário: 13h às 17h30

Local: Auditório do Bioparque (Afonso Pena, 6277)

23 de junho – Seminário Estadual de Políticas Públicas LGBT+

Local: Auditório da Prefeitura de Dourados (rua Coronel Ponciano, número 1.700) 

Horário: 13h às 17h. 

Dia do Orgulho LGBTQIA+

No dia 28 de junho é comemorado o Dia do Orgulho LGBT, mas atualmente a sigla é maior e continua a crescer para integrar outras identidades de gênero e sexualidade. Se você for um pouco ‘mais antigo’, ainda deve lembrar do termo GLS, nos anos 90 e começo de 2000, que significava pessoas gays, lésbicas e simpatizantes. Porém, com o passar dos anos, a sigla evoluiu e passou a incluir pessoas de diversas orientações sexuais e identidades de gênero. 

O mês do Orgulho é considerado um símbolo dentro do movimento, que se iniciou em junho de 1969 com a Revolta de Stonewall, nos Estados Unidos. A sigla mais comum é a  LGBTQIA+, mas algumas correntes indicam uma sigla ainda mais completa: LGBTQQICAAPF2K+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros, Queer, Questionando, Intersexuais, Curioso, Assexuais, Aliados, Pansexuais, Polissexuais, Familiares, 2-espíritos e Kink). 

Se você quer saber o significado das letras da sigla LGBTQIA+? O Jornal Midiamax explica para você. Para fazer esse glossário, foi utilizado o Manual de Comunicação LGBTI+, desenvolvido pela Aliança Nacional LGBTI.

Agora, vamos às letras da sigla LGBTQIA+

L e G: são as letras mais conhecidas da sigla e todo mundo sabe o que significa: lésbicas e gays. São orientações sexuais. Mas a sigla também tem as letras B e A, que significam bissexuais e assexuais. São orientações que são “esquecidas” por muitas pessoas, causando apagamento dessas orientações sexuais. 

Lésbica: Mulher que é atraída afetiva e/ou sexualmente por pessoas do mesmo sexo/ gênero (cis ou trans). Não precisam ter tido, necessariamente, experiências sexuais com outras mulheres para se identificarem como lésbicas.

Gays: Pessoa do gênero masculino (cis ou trans) que tem desejos, práticas sexuais e/ou relacionamento afetivo-sexual com outras pessoas do gênero masculino. Não precisam ter tido, necessariamente, experiências sexuais com outras pessoas do gênero masculino para se identificarem como gays.  

Bissexuais: É a pessoa que se relaciona afetiva e sexualmente com pessoas de ambos os sexos/gêneros. O termo “Bi” é o diminutivo para se referir a pessoas bissexuais.

Assexuais: É um indivíduo que não sente nenhuma atração sexual, seja pelo sexo/gênero oposto ou pelo sexo/gênero igual.

T de travesti, transexual/transgênero; queer: 

Aqui já entramos na identidade de gênero. É uma experiência interna e individual do gênero de cada pessoa, que pode ou não corresponder ao sexo atribuído no nascimento, incluindo o senso pessoal do corpo (que pode envolver, por livre escolha, modificação da aparência ou função corporal por meios médicos, cirúrgicos e outros) e outras expressões de gênero, inclusive vestimenta e modo de falar.

Travesti: Uma construção de gênero feminino, oposta ao sexo biológico, seguido de uma construção física de caráter permanente, que se identifica na vida social, familiar, cultural e interpessoal, através dessa identidade. Muitas modificam seus corpos por meio de hormonioterapias, aplicações de silicone e/ou cirurgias plásticas, porém, vale ressaltar que isso não é regra para todas. Existe o grupo dentro deste segmento que se autoafirma ‘mulheres travestis’. 

Transexual: Pessoa que possui uma identidade de gênero diferente do sexo designado no nascimento. As pessoas transexuais podem ser homens ou mulheres, que procuram se adequar à identidade de gênero. Algumas pessoas trans recorrem a tratamentos médicos, que vão da terapia hormonal à cirurgia de redesignação sexual. São usadas as expressões homem trans e mulher trans.

Queer: Um adjetivo utilizado por algumas pessoas, em especial pessoas mais jovens, cuja orientação sexual não é exclusivamente heterossexual. De modo geral, para as pessoas que se identificam como queer, os termos lésbica, gay, e bissexual são percebidos como rótulos que restringem a amplitude e a vivência da sexualidade.  O termo queer também é utilizado por alguns para descrever sua identidade e/ ou expressão de gênero.

Intersexualidade: É um termo guarda-chuva que descreve pessoas que nascem com anatomia reprodutiva ou sexual e/ou um padrão de cromossomos que não podem ser classificados como sendo tipicamente masculinos ou femininos. 

O mais comum é que as demais siglas fiquem incorporadas no sinal de +, devido a importância de não restringir as definições e como estão as discussões. Mas como prometemos, vamos falar um pouco das outras siglas: 

LGBTQQICAAPF2K+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros, Queer, Questionando, Intersexuais, Curioso, Assexuais, Aliados, Pansexuais, Polissexuais, 2-espíritos e Kink).

Questionando: pessoas que não têm certeza de algum aspecto de suas orientações, identidades de gênero, corporalidades intersexo e/ou de outras identidades.

Curioso: pessoa que busca experimentar toda a fluidez da sexualidade.

Aliados: são as pessoas não são LGBT e que apoiam e lutam pelo movimento.

Pansexual: pessoa que sente atração por outra independente do gênero. É diferente do bissexual, pois o pan sai do feminino e o masculino, podendo se sentir atraído pela variação que existe entre os dois gêneros.

Polissexuais: é uma pessoa que sente atração por vários gêneros.

2 espíritos: é uma identidade de nativos da América do Norte que não está no padrão de masculino e feminino. Eles creem ter nascido com espíritos masculino e feminino.

Kink: Pessoas que possuem fetiche.

Outro termo utilizado é LGBTIfobia, definida como o medo, a aversão ou o ódio irracional às pessoas que manifestem orientação sexual ou identidade/expressão de gênero diferente dos padrões heteronormativos.