Prefeitura de Campo Grande fecha convênio para receber lixo de Figueirão

As prefeituras de Campo Grande e de Figueirão fizeram um convênio para que a CG Solurb Soluções Ambientais, que faz a coleta de lixo na Capital, receba os resíduos sólidos e os mande para o aterro sanitário do Dom Antônio Barbosa. Assinado em 25 de outubro passado, mas divulgado nesta sexta-feira (3), o contrato vai […]
| 03/01/2020
- 14:22
(Foto: Arquivo/Midiamax)
(Foto: Arquivo/Midiamax) - (Foto: Arquivo/Midiamax)

As prefeituras de Campo Grande e de Figueirão fizeram um convênio para que a Soluções Ambientais, que faz a coleta de lixo na Capital, receba os resíduos sólidos e os mande para o aterro sanitário do Dom Antônio Barbosa.

Assinado em 25 de outubro passado, mas divulgado nesta sexta-feira (3), o contrato vai até 31 de julho de 2020. Campo Grande vai cobrar, a cada tonelada depositada, R$ 135,94. Não foi informada a média coletada em Figueirão.

Em 3 de outubro, a Prefeitura da Capital divulgou dois extratos semelhantes com os executivos municipais de Terenos e Rio Negro, também para receber o lixo recolhido nestas cidades. O preço estipulado foi de R$ 135,90. Em ambos casos, os contratos têm vigência de 7 de agosto deste ano até 31 de julho de 2020.

O convênio foi assinado pela Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos), Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura), (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) e a CG Solurb Soluções Ambientais, além das prefeituras dos municípios.
Em 2019, o secretário de Infraestrutura, Rudi Fioresi, explicou que os contratos preveem que os municípios apenas ‘deixem’ o lixo no aterro, mas a coleta continua sendo responsabilidade deles. As cidades menores, explica, geralmente não têm aterros próprios e, por isso, firmam convênios com Campo Grande.

Veja também

Na lista, opções em diversas áreas de atuação e ofertas exclusivas para pessoas com deficiência

Últimas notícias