Cotidiano

Quatro viaturas do Samu já foram consertadas e voltaram às ruas de Campo Grande

Das dez ambulâncias, flagradas pelo Jornal Midiamax, paradas por problemas mecânicos no pátio do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), em Campo Grande, quatro já passaram por manutenção e foram reintegradas à frota para realizar o serviço de emergência à população, de acordo com informações da Prefeitura da Capital, nesta quinta-feira (12). A previsão […]

Wendy Tonhati Publicado em 12/07/2018, às 11h35 - Atualizado às 15h36

None

Das dez ambulâncias, flagradas pelo Jornal Midiamax, paradas por problemas mecânicos no pátio do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), em Campo Grande, quatro já passaram por manutenção e foram reintegradas à frota para realizar o serviço de emergência à população, de acordo com informações da Prefeitura da Capital, nesta quinta-feira (12). A previsão é que mais duas estejam em funcionamento ainda hoje.

Servidores denunciaram a situação, temendo não ter como realizar o atendimento emergencial à população. O Jornal Midiamax foi até o local na segunda-feira (9) e confirmou as viaturas fora de operação. Entre os problemas mais comuns estavam viaturas sem para-choque, sem freio e com avarias nas portas.

Quatro viaturas do Samu já foram consertadas e voltaram às ruas de Campo Grande
Ambulâncias foram encaminhadas à oficinas (Foto: Marcos Ermínio)

Após as reportagens sobre o problema e a possibilidade de os moradores de Campo Grande ficarem sem atendimento, as ambulâncias foram encaminhadas para oficinas na quarta-feira (11).

A reportagem fotográfica flagrou as viaturas em três oficinas: Rocket, localizada na Dom Aquino, no Centro; Kapital Peças, na 14 de Julho e na Auto Peças Norte Sul, na Avenida das Bandeiras. No pátio do Samu, no bairro Pioneiros, ainda restavam quatro viaturas paradas.

Emendas parlamentares

Após afirmar, em nota, que o Ministério da Saúde é o único e exclusivo órgão responsável pela compra de viaturas do Samu, a Prefeitura foi confrontada pelo órgão na terça-feira (10). Em nota, foi esclarecido que, além do Ministério da Saúde, o Estado e o Município também são responsáveis pela reposição dos veículos nos estados.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou ao Jornal Midiamax que, por causa das recentes crises econômicas enfrentadas pelos atuais governos e, “principalmente, a grave celeuma da gestação municipal passada”, não há dotação orçamentária para a compra de ambulâncias com recursos municipais.

Sendo assim, a atual gestão tem proposto aos deputados federais que façam a destinação de emendas parlamentares para compra de viaturas para atender o Samu”, destacou o Município.

Campo Grande possui 13 ambulâncias habilitadas a realizar o atendimento, sendo que o problema é a manutenção e a idade da frota – quanto mais antiga, mais problemas apresentam.

Gastos com manutenção

Após a denúncia feita pelo Jornal Midiamax,de que 10 viaturas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) estavam paradas, à espera de conserto e, apenas três à serviço da população, a comissão de saúde da Câmara da Capital revelou que a Prefeitura já gastou R$ 1,2 milhão com manutenção dos veículos.

O vereador Enfermeiro Fritz (PSD), que é membro da comissão permanente de saúde da Casa, chegou a informar que o dinheiro para custeio das ambulâncias é oriundo do governo Federal e tinha previsão para durar o ano todo,mas que teria sido gasto todo em apenas seis meses.

Sobre a afirmação, a Prefeitura esclareceu que a manutenção de todos os serviços do Samu é custeada com recursos tripartite, ou seja, federal, estadual e municipal, sendo o último ente o que mais contribuí no custeio anual. “Na dotação orçamentária de 2018 do Samu, ainda há recursos programados”.

Jornal Midiamax