Renato Janine argumentou após Justiça mandar reabrir inscrições

O Ministério da Educação admitiu – pela primeira vez – que acabou o dinheiro para assinar novos contratos do – o financiamento estudantil. A Justiça mandou reabrir as inscrições, mas o governo vai recorrer. Em relação ao ano passado, o número de novos contratos do Fies caiu quase 50%. Agora está tudo claro em relação aos novos contratos: independente de falhas no site, de dificuldades na inscrição, o problema é falta de dinheiro mesmo.

E o que vai acontecer com outros programas importantes da Educação, como o Ciência sem Fronteiras? Tudo depende dos cortes no orçamento dos ministérios que ainda não foram divulgados, mas que serão grandes, como já disse a presidente Dilma. O Ministério da Educação está em compasso de espera. Se a verba for reduzida, outros programas poderão sofrer restrições.

O Ministério da Educação só foi notificado sobre a decisão da Justiça na segunda-feira (4) à noite. Foi quando soube oficialmente que teria que prorrogar o prazo para novas inscrições no Fies, por tempo indeterminado. Mas o ministro disse que vai recorrer. O principal argumento? “Não adianta reabrir porque não há mais recursos”, afirmou Renato Janine.

O programa encolheu este ano, pelo menos para novos financiamentos. Recebeu 252 mil inscrições, contra 480 mil no primeiro semestre do ano passado, redução de 47,5%. Os cursos mais procurados nesta etapa foram engenharia, direito e enfermagem.

Estudante de Biomedicina, Raiana ficou decepcionada. Ela conta que entrou várias vezes no site do Ministério da Educação para tentar se inscrever e estava confiante, mas não conseguiu. “Realmente estava, porque até então todo mundo conseguia. Antigamente estava mais fácil, no ano de 2013, 2014, estava mais fácil”, afirmou a estudante.

Os problemas no site do Fies preocupam ainda um outro grupo de alunos: os que já conseguiram o financiamento em anos anteriores, mas precisam renovar o contrato agora. Tem quase 150 mil alunos nessa situação, e o prazo para a renovação desses contratos termina o fim do mês.

Everaldo está no terceiro semestre de Medicina e é um dos que enfrenta dificuldades para fazer a renovação. Ele diz que faz todo o passo a passo no site, mas na hora de imprimir o documento para levar ao banco, não dá certo.

Ele já entrou em contato com o ministério, mas não consegue finalizar o processo. “Estou até agora sem saber se vou conseguir renovar ou não. É um curso caro, acho que caso eu não consiga renovar o meu Fies provavelmente eu vou ter que trancar o curso porque é uma mensalidade muito pesada para a minha família arcar com isso”, disse.

O MEC tem cinco dias para recorrer da decisão da Justiça. A multa que foi estipulada pelo juiz, de R$ 20 mil a cada dia que o sistema não for reaberto, só será cobrada no final do processo, se o governo perder a ação.

E o ministério confirmou que vai renovar todos os contratos antigos. Ao todo são 1,9 milhão de contratos.

Saiba Mais