Servidora de , município distante a 168 quilômetros de foi denunciada ao MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) por acúmulo de cargos na cidade. Conforme o documento, a delação foi protocolada no dia 26 de novembro de 2022 no e também no TCE (Tribunal de Contas do Estado), dia 20 de janeiro do mesmo ano. Desde então, não há conclusão sobre o caso, denunciam moradores da cidade.

De acordo com a denúncia, a servidora é enfermeira e ocupa a função de chefe em um posto de saúde. No entanto, também atua como diretora-presidente em outro órgão. A servidora chegou a receber R$ 24. 768,50 em diárias da previdência ao longo dos últimos 11 meses.

Conforme os dados do portal da transparência, o mensal da enfermeira é de R$ 6.969 para exercer o cargo. Detalhamento da folha de pagamentos mostra gratificação de R$ 1.463 por adicional de tempo de serviço; R$ 5.576,42 constando como outros proventos e subsídio cargo em comissão de R$ 3.675,00, com a conta da folha fechando em R$ 17.892,99.

A nomeação da enfermeira consta apenas como lotada na Secretária Municipal de Saúde. A equipe de reportagem entrou em contato com a prefeitura de Água Clara por meios devidamente registrados para entender a situação. No entanto, não obteve respostas até a publicação da matéria. O espaço segue aberto para posicionamento.