Os ex-vereadores Alex do PT e Saraiva migraram para o Avante com a intenção de, mais uma vez, disputar uma vaga na Câmara de Campo Grande nas eleições municipais de 2024.

Apesar de não confirmar a pré-candidatura a vereador, Alex não descarta a possibilidade de concorrer a vaga. Mesmo não ‘batendo o martelo’, o ex-petista disse que é vice-líder no Avante e adiantou alguns nomes que o partido deve lançar nas eleições deste ano.

Conhecido como Alex do PT, ele deixou a sigla petista em 2018, mas foi vereador por quatro mandatos, sendo eleito em 2000, 2004 e 2012. Em 2008, foi eleito suplente e em 2016 foi candidato a prefeito de Campo Grande pelo PT.

Nesta semana, ao Midiamax, Alex disse que segue a frente do Avante e que não tem certeza se vai concorrer as eleições municipais. Um dos nomes citados por Alex que vai concorrer pela sigla é o ex-vereador da Capital, Airton Saraiva que novamente tenta buscar uma vaga na Casa de Leis neste ano.

Saraiva era filiado ao extinto DEM, o Democratas, que foi um partido político brasileiro de centro-direita, mas se fundiu com o Partido Social Liberal (PSL) para formar o União Brasil (União), em 2022.

Alex também segue como vice-líder do Avante que tem comandante, Lúcio Dani Soares, o qual, foi o maior doador individual de campanha do procurador de Justiça do MPMS (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul) Sérgio Harfouche em 2022.

Lúcio avaliava indicar o procurador a vice de Adriane nessas eleições, mas Harfouche descarta a possibilidade. A ideia do partido atualmente, que é base da prefeita na Câmara de Campo Grande, é lançar uma chapa competitiva de vereadores para disputar.

Além de Saraiva, Alex adianta que nomes como o ex-secretário da Sidagro (Secretaria Municipal de Inovação e Desenvolvimento Econômico) Adelaido Vila. O ex-vereador Paulo Lands que ocupou a vaga do parlamentar licenciado, Sandro Benites (PP), quando ele estava a frente da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) também está cotado.  

O vereador Edu Mirante que era do extinto Patriota também se filiou ao Avante para tentar manter a cadeira na Casa de Leis. O irmão de Paulo, Wilson Lands que ganhou um cargo na prefeitura na gestão de Adriane Lopes (PP), também concorre pela sigla.

A ex-presidente do IMPCG, Camilla Nascimento Oliveira, se filiou ao Avante e deixou o cargo no Executivo para disputar as eleições. A sigla ainda leva nomes como o de Denis Pereira que já foi pré-candidato a deputado federal.

Major Centurião e o líder comunitário Charupá, ambos já tentaram, mas não conseguiram uma cadeira na Câmara de Campo Grande e em 2024 os pré-candidatos tentam novamente a vaga de vereador da Capital.

Avante

Antes filiado ao Avante, Harfouche deixou o partido, que passou a ser comandado por Lúcio Dani Soares. Em abril de 2018, o procurador se licenciou do cargo para disputar sua primeira eleição, filiando-se ao PSC. Em seguida, assumiu que seria pré-candidato ao Senado, mas em julho, declarou que concorreria ao governo do estado.

Porém, em agosto, foi oficializado como candidato a vice-governador na chapa do MDB após pressão do seu partido. No mesmo mês, a então candidata Simone Tebet desistiu da disputa e Harfouche fez o mesmo. Em seguida, ele voltou para a corrida ao Senado e terminou a disputa na sexta colocação, com 292.301 votos.

Em 2020, Harfouche se candidatou à Prefeitura de Campo Grande, mas teve a candidatura indeferida. Às vésperas da eleição, ele conseguiu decisão que o fez disputar sub judice e chegou ao segundo lugar com mais de 11% dos votos. Por fim, a Justiça Eleitoral manteve o indeferimento. Ele tinha como vice o então vereador André Salineiro.

Em 2022, Harfouche esperava concorrer pelo União Brasil ao Senado. No entanto, a vaga ficou com Mandetta. Na época, ele se filiou ao Avante e disputou como candidato a deputado federal.