No fim de outubro, inquérito civil foi instaurado para apurar supostas fraudes em licitações no município de Nioaque, a 187 quilômetros de . Empresa contratada por R$ 2 milhões para construir uma ponte sobre o Rio Nioaque não teria cumprido o acordo.

Conforme a denúncia feita pela vereadora Rosemeire Meza Arruda (União Brasil), a obra ficou mais de um ano parada. Isso após ser aprovado um repasse nacional e a empresa Taquion de Infraestrutura ser contratada, por R$ 2 milhões.

Mesmo assim, a construtora não terminou a obra, sendo notificada pela Prefeitura de Nioaque. A prefeitura então rescindiu o contrato unilateralmente, mas a empresa acionou a Justiça.

Desta forma, a construtora conseguiu mandado de segurança com liminar, restabelecendo o contrato, que foi aditado. Ainda assim, a obra não foi encerrada.

O prefeito Valdir Couto (PSDB) confirmou ao Midiamax que atualmente a obra está em execução. Foi contratada outra empresa para a construção da ponte.

Também segundo o chefe do Executivo, a Taquion já não tem mais contratos ativos com a prefeitura. Na denúncia, a vereadora chega a incluir fotos do suposto endereço da empresa, em Campo Grande, onde encontrou um terreno baldio.

As licitações serão analisadas pelo (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), que apura eventual irregularidade.

Empreiteira

Em nota, a empresa Taquion Obras de Infraestura afirmou que ‘jamais compactou com nenhuma
irregularidade ou fraude.

Informa ainda que os processos de licitação seguiram com toda transparência e licitude que se fazem necessário e consagrou-se vencedora dos referidos certames por mérito próprio.

Informa ainda que conforme nota anterior, a empresa havia informado que haviam atrasos frequentes no
pagamento das medições das obras de Nioaque, o que aos poucos levou a impossibilidade em continuar
executando as obras, e que além disso, o atraso e prejuízo causado pela prefeitura de Nioaque fizeram com que a empresa passasse por dificuldades financeiras.

Hoje, devido a sanção ocorrida pela prefeitura de Nioaque, a empresa atua somente em obras particulares e concluindo as licitações já ganhas, e segue em pleno funcionamento, com novo endereço conforme já informado ao ministério público estadual.

Por fim, a empresa manifesta compromisso e clareza e que contribuirá para as investigações afim de que possa ao dos desdobramentos restabelecer sua honra e imagem junto à população Sul-mato-grossense”, disse.

(Nota acrescentada à matéria às 11h30 do dia 13/11, quando recebida pela reportagem).

Saiba Mais