Estudo para concessão dos parques estaduais em MS deve ser finalizado no primeiro semestre de 2022

Conforme BNDES, o processo segue em andamento
| 25/01/2022
- 20:01
A Gruta do Lago Azul vai ser um dos parques que poderão ser administrados pela iniciativa privada
A Gruta do Lago Azul vai ser um dos parques que poderão ser administrados pela iniciativa privada - Foto: Divulgação

O estudo que analisa a viabilidade de concessão de parques estaduais em deve ser concluído até o primeiro semestre deste ano. De acordo com o (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), a análise acerca de cinco locais do Estado para serem administrados pela iniciativa privada segue em andamento.

Se aprovada, a concessão vai englobar cinco atrativos turísticos do MS. São eles: o Parque das Nações Indígenas, a Gruta do Lago Azul, Parque Estadual do Prosa, Parque Estadual das Nascentes do e o Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema.

O prazo original para conclusão da análise teria vencido em 2021, como reportado anteriormente pelo Jornal Midiamax. No entanto, o BNDES não esclareceu se houve uma prorrogação de prazo ou se o processo está em atraso — o cronograma divulgado pelo banco indica que as ações ainda não passaram da primeira fase.

Por outro lado, o Governo do Estado destacou que os estudos estão sendo feitos por uma consultoria especializada que foi contratada pelo banco, não informando precisamente a que ponto anda o processo e quais foram os prazos estipulados. 

Concessão de parques estaduais de MS

O projeto de concessão visa atrair investimentos privados a estes parques, com objetivo de fomentar o turismo. Em contrapartida, as empresas vencedoras poderão explorar algum tipo de serviço ou taxa para manter os serviços — e obter lucro. Entre as exigências que devem constar no edital, estão a implementação de serviços de apoio à visitação, revitalização, modernização e manutenção dos serviços turísticos nas unidades.

Além dos cinco parques estaduais que farão parte deste estudo, o programa também vai avaliar o Parque Nacional da Serra da Bodoquena, que é administrado pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). Outro projeto em pauta é da concessão do Parque Estadual do Pantanal de Rio Negro, que passará por estudo por meio do Ministério do Turismo.

Vale lembrar, no entanto, que estes dois últimos ainda não entraram na lista de concessões.

Veja também

Executivo da Capital pede suplementação para programa Prepar@Juv

Últimas notícias