Conselho arquiva inquérito que investigava prefeito de MS por aumento de gastos com publicidade

Investigação não encontrou provas
| 26/05/2022
- 07:57
Chefe do Executivo foi alvo de inquérito em Bataguassu
Chefe do Executivo foi alvo de inquérito em Bataguassu

O Conselho Superior do MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) arquivou inquérito que apurava supostos atos de praticados por Akira Otsubo, atual prefeito de Bataguassu, por meio de gastos com publicidade em veículos de imprensa. Conforme decisão divulgada no Diário Oficial desta quinta-feira (26), os fatos apresentados na denúncia não se confirmaram.

Inquérito Civil

Informações enviadas à Promotoria de de Patrimônio Público e Social local apontavam que ao longo de todo o ano de 2019, o município gastou R$ 219.521,40 com a imprensa, o que deu uma média mensal de R$ 18 mil. Já em 2020, foram R$ 205.784,40, com uma média de R$ 17 mil por mês.

Porém, em 2021, na atual gestão, o município gastou apenas nos primeiros quatro meses R$ 130.792,40, com uma média de R$ 32 mil por mês, o que levou a um resultado de quase o dobro das despesas médias mensais dos anos anteriores. Consta que tais números foram fornecidas pelo próprio município, por meio da Lei de Transparência.

O denunciante afirmava que tal aumento poderia estar relacionado com uma rádio da cidade, supostamente ligada ao prefeito, que teria contratado um locutor “especial” para promover diariamente fatos positivos referentes ao chefe do Executivo Municipal. Por este motivo, foi instaurado inquérito, com o objetivo de esclarecer os fatos.

No entanto, não foram encontradas provas. “Após análise dos autos, verifica-se que os fatos noticiados na denúncia encaminhada ao Ministério Público Estadual não se confirmaram, não tendo sido verificado qualquer irregularidade que justificasse o prosseguimento deste procedimento e/ou a propositura de ação civil pública. Posto isso, vota-se pela homologação da promoção de arquivamento”, lê-se na decisão do Conselho divulgada nesta quinta.

Veja também

Licitação foi dada como fracassada no Diário Oficial da União

Últimas notícias