O (Ministério Público Estadual) ofereceu contra o acusado de matar Renata Andrade de Campos Widal, de 39 anos, em março deste ano, no bairro Centenário. A denúncia foi oferecida no dia 2 deste mês. Renata foi morta a pedradas.

O irmão de Renata foi denunciado pelo crime de feminicídio com a qualificadora de motivo fútil e do meio cruel no âmbito de violência doméstica e familiar. Renata foi morta com socos e pedradas no rosto e, depois, teve seu pescoço cortado com um serrote. 

Antes da chegada da polícia à cena do crime, na casa onde moravam no Jardim Centenário, em , o autor tomou banho e trocou as sujas de sangue.

Feminicídio de Renata

Renata foi encontrada com o rosto completamente desfigurado. Conforme noticiado anteriormente pelo Jornal Midiamax, a violência quase a decapitou.

O autor, no dia, estava com lesões no dorso da mão. A primeira versão apresentada por ele, de que um grupo invadiu a residência, matou Renata e depois fugiu em um veículo Chevrolet Corsa de cor vinho, foi contestada pelos policiais, principalmente, após observarem os ferimentos.

Foi então que o irmão confessou o crime. Segundo o relato aos policiais, ele começou a esmurrar sua irmã com socos na face. A vítima caiu ao solo e o autor, em seguida, de posse de uma pedra grande, golpeou o rosto dela inúmeras vezes, depois, serrou o pescoço da irmã.