Um dos principais imóveis do Grupo Bigolin, em Campo Grande, foi colocado à venda após ser leiloado em agosto deste ano. O preço pedido pelo espaço – que foi uma loja da rede – é de R$ 25 milhões. Uma corretora do Paraná arrematou o prédio por R$ 9,3 milhões.

O espaço, na Rua 13 de Maio, na Vila Glória, foi anunciado em um site especializado de venda de imóveis. “Imóvel comercial em excelente localização, com área total do terreno de 10.161m², área total construída de 6.266m²”, diz o anúncio.

A Carames e Martins Imóveis Limitada arrematou o imóvel há quatro meses. A leiloeira informou nos autos do processo de recuperação judicial que a corretora paranaense pagou entrada de 25%, que corresponde a R$ 2,34 milhões, parcelando o restante em 30 vezes. 

Falência da Bigolin

A dívida do grupo já é estimada em mais de R$ 100 milhões. A decisão do juiz de primeiro grau, que decretou a falência do grupo, ocorreu após segunda assembleia de credores, que concordou com a implantação de um plano de recuperação.

Conforme o rito jurídico, a aprovação precisa ocorrer em primeira votação de assembleia, com quórum qualificado de credores, ou em segunda votação, com quórum judicial.

A empresa alcançou os requisitos necessários, na segunda votação, para implantar o plano. Porém, o juiz José Henrique Neiva de Carvalho e Silva considerou a medida inviável e, com isso, determinou a falência e fechamento das lojas.