Política / Transparência

ANTT decide nesta terça-feira se pedágio da BR-163 em MS terá aumento

A diretoria da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) analisa nesta terça-feira (15) se autoriza reajuste da tarifa básica de pedágio na rodovia BR-163, sob administração da concessionária CCR MSVia. O procedimento tem como relator o diretor Davi Barreto. A reunião será realizada às 15h30 (de Brasília), por meio de videoconferência. A autarquia não deve […]

Adriel Mattos Publicado em 15/12/2020, às 09h52 - Atualizado às 17h43

(Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax)
(Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax) - (Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax)

A diretoria da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) analisa nesta terça-feira (15) se autoriza reajuste da tarifa básica de pedágio na rodovia BR-163, sob administração da concessionária CCR MSVia. O procedimento tem como relator o diretor Davi Barreto.

A reunião será realizada às 15h30 (de Brasília), por meio de videoconferência. A autarquia não deve transmitir publicamente.

No terceiro trimestre de 2020, a concessionária teve uma receita bruta de R$ 81,3 milhões, um aumento de 0,5% em comparação com o mesmo período do ano passado. 

Apesar do sinal de recuperação, no acumulado dos nove meses de 2020, a CCR MSVia ainda apresenta uma receita menor em relação ao ano passado. Nos nove meses deste ano, a receita da companhia com pedágio foi de R$ 214,6 milhões. Enquanto no mesmo período do ano passado, a receita era de R$ 220,3 milhões, ou seja, uma redução de 2,6%.

No ano passado, a ANTT determinou a redução da tarifa em 53,94%, já que a concessionária descumpriu o prazo contratual para duplicar a rodovia. A CCR recorreu à Justiça, que derrubou a medida.

Em seguida, o grupo pediu ao MInfra (Ministério da Infraestrutura) a relicitação da BR-163 no Estado, incluindo que o prazo para que o trecho sul-mato-grossense tivesse seu prazo para duplicação ampliado de cinco para dez anos. O ato foi autorizado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Enquanto durar o processo de relicitação, a CCR MSVia poderá cobrar pedágio.

Jornal Midiamax