A investigação da Polícia Civil de uma apresentação circense em Amambai de artista usando apenas cueca repercutiu nas sessões desta terça-feira (14) da Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul) e da Municipal de Campo Grande. O homem estaria fantasiado de Cupido, equivalente romano ao deus grego do amor.

Primeiro-secretário da Mesa Diretora, o deputado estadual (PSDB) destacou que o espetáculo “não tem apoio financeiro nenhum da prefeitura”, além do prefeito Edinaldo Bandeira (PSDB) não ter conhecimento prévio da apresentação.

Rafael Tavares (PRTB) disse que ficou horrorizado com o vídeo. “As imagens que recebi são assustadoras, se não criminosas. Homens abraçando outros homens”, alegou.

Ele disse ter pedido esclarecimentos da prefeitura sobre a apresentação. “Quero entender um pouco como foi a contratação e também de qualquer maneira punir quem permitiu esse espetáculo”, afirmou.

Na Câmara da Capital, o vereador Epaminondas Silva Neto, o Papy (Solidariedade), avaliou que o espetáculo tem caráter pornográfico.

“A família chega para ver uma apresentação e é uma dança erótica, com gogo boys. É um vídeo horroroso e inadmissível. Já entramos em contato com a prefeitura, que respondeu não ter reconhecimento. Não podemos voltar à cultura da pornografia. Os artistas do MS são muito mais que isso. É uma questão de bom senso”, comentou.

https://www.youtube.com/watch?v=EBTi-sLOx58&ab_channel=Multim%C3%ADdia%5BMidiamax%5D

Cupido de cueca

A apresentação de um circo em , no fim de semana, virou um duplo caso de polícia. Além de ser multado pela PMA (Polícia Militar Ambiental) por usar cobras em uma apresentação, outro espetáculo causou polêmica: trata-se do “Show do Cupido”, em que um artista dança usando apenas cueca adesivada com um coração nas partes íntimas.

Segundo a delegada Alana Lima, no dia da apresentação o delegado plantonista foi acionado após denúncias das mães. No dia seguinte, a delegada afirma que outros responsáveis das crianças procuraram a delegacia para fazer a denúncia, e o circo agora deve ser investigado por ato obsceno e importunação sexual.

Imagens gravadas por espectadores do show revelam que o homem interage com a plateia, cheia de crianças, e tenta até sentar no colo de um homem, que o empurra.

Nas , muitos moradores da cidade que assistiram ao espetáculo falaram sobre a revolta causada pela apresentação. “Uma pouca vergonha. Disseram que era um espetáculo de circo e no fim foi uma encenação de pornografia”, disse uma mulher. 

Em nota, a Polícia Civil informou que o show teria, segundo denúncias dos pais, conteúdo impróprio para crianças “sem qualquer indicação de faixa etária em suas divulgações”.

A polícia diz que além dos registros de boletim de ocorrência por importunação sexual e ato obsceno, oitivas dos artistas envolvidos serão feitas. A investigação, segundo a polícia, seguirá em sigilo.

Depois da repercussão que tomou conta das redes sociais, na noite de segunda-feira (13), a prefeitura de Amambai publicou nas redes sociais um comunicado justificando que a apresentação foi vendida ao município como um “novo conceito de circo”.

A administração municipal divulgou um áudio que o município diz ser do coordenador do espetáculo. A gravação teria sido feita pelo representante do circo para uma secretária da prefeitura, que apoiou a realização do evento.

O representante define o espetáculo como “conceito contemporâneo, uma megaprodução, o que seria um novo conceito de circo”. O prefeito ainda se manifestou nas redes frisando que não sabia exatamente como seria essa apresentação.

Diante da repercussão, a apresentação do mesmo show que aconteceria nesta segunda (14) em foi cancelada.