Nesta segunda-feira (13), proprietário de um circo que estava instalado em Amambai, a 351 quilômetros de Campo Grande, foi multado e autuado. Ele usava cobras em atrações, o que é proibido por lei estadual.

Conforme a PMA (Polícia Militar Ambiental), os militares souberam do uso dos animais em atrações e foram até o circo. Lá, encontraram as cobras, sendo uma de 1,2 metro e uma píton, de 1 metro.

Os animais foram recolhidos e a empresa alegou que não sabia da proibição de uso dos animais nas apresentações no Estado. Ainda conforme a PMA, a proibição consta na lei estadual 3.642/2009.

“Fica proibida, em todo o território do Estado de Mato Grosso do Sul, a apresentação de espetáculo circense ou similar que tenha como atrativo a exibição de animais de qualquer espécie”, diz o artigo 1º.

Além disso, as cobras também não tinham qualquer documentação. Os animais foram apreendidos e serão encaminhados ao Cras (Centro de Animais Silvestres), em Campo Grande.

Já o proprietário do circo alegou que adquiriu as serpentes, que são domesticadas, por de um amigo, também proprietário de circo. Isso teria ocorrido há três anos no estado do Espírito Santo.

Ele foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 47.380 e responderá por crime ambiental de introduzir espécime no país sem autorização, por causa da serpente exótica, com de três meses a um ano e por manter animais silvestres ilegalmente em cativeiro, pela jiboia, com pena prevista de seis meses a um ano de detenção.