Além da multa determinada ao proprietário do circo que se apresentou com animais em Amambai, a 351 quilômetros de , neste fim de semana, o espetáculo também será investigado após denúncias de pais de crianças, que presenciaram apresentação de um homem vestido só de cueca. 

Segundo a delegada da Polícia Civil, Alana Lima, no dia da apresentação o delegado plantonista foi acionado após denúncias das mães. No dia seguinte, a delegada afirma que outros responsáveis das crianças procuraram a para fazer a denúncia, e o circo agora deve ser investigado por ato obsceno e importunação sexual.

O que motivou as denúncias foi a apresentação de um palhaço, que estava fantasiado de cupido, e que vestia uma cueca, com um coração vermelho sobre as partes íntimas. Imagens gravadas por espectadores do show revelam que o homem interage com a plateia, cheia de crianças, e tenta até sentar no colo de um homem, que o empurra.

Nas , muitos moradores da cidade que assistiram ao espetáculo falaram sobre a revolta causada pela apresentação. “Uma pouca vergonha. Disseram que era um espetáculo de circo e no fim foi uma encenação de pornografia”, disse uma mulher. 

Conteúdo impróprio para crianças

De acordo com divulgações do evento, o ingresso para assistir ao espetáculo, que aconteceu no ginásio municipal de esportes, custou R$ 25 para arquibancada e R$ 35 para o camarote. Nas artes de divulgação do espetáculo, inclusive, constam figuras de super-heróis que atraem o público infantil.

De acordo com nota divulgada pela Polícia Civil de Amambai, o show, segundo denúncias dos pais, tinha conteúdo impróprio para crianças “sem qualquer indicação de faixa etária em suas divulgações”.

A polícia diz que, além dos registros de boletim de ocorrência por importunação sexual e ato obsceno, oitivas dos artistas envolvidos serão feitas. A investigação, segundo a polícia, seguirá em segredo de Justiça.

(Foto: Reprodução, Redes Sociais)

Prefeitura se manifesta após revolta

Depois da repercussão que tomou conta das redes sociais na noite desta segunda-feira (13), a prefeitura de Amambai publicou nas redes sociais uma espécie de comunicado justificando que a apresentação foi vendida ao município como um “novo conceito de circo”.

A prefeitura publicou um áudio que o município diz ser do coordenador do espetáculo, intitulado de Show do Cupido. A gravação teria sido feita pelo representante do circo para uma secretária da prefeitura, que apoiou a realização do evento.

O representante define o espetáculo como “conceito contemporâneo, uma megaprodução, o que seria um novo conceito de circo”. Confira aqui a nota divulgada pela prefeitura.

Diante da repercussão, apresentação do mesmo show que aconteceria nesta segunda (13) em Ivinhema foi cancelada.

Multado por animais

Proprietário do circo que estava instalado em Amambai, a 351 quilômetros de Campo Grande, foi multado e autuado. Ele usava cobras em atrações, o que é proibido por lei estadual.

Conforme a (Polícia Militar Ambiental), os militares souberam do uso dos animais em atrações e foram até o circo. Lá, encontraram as cobras, sendo uma jiboia de 1,2 metro e uma píton, de 1 metro.

Os animais foram recolhidos e a empresa alegou que não sabia da proibição de uso dos animais nas apresentações no Estado. Ainda conforme a PMA, a proibição consta na lei estadual 3.642/2009.

“Fica proibida, em todo o território do Estado de Mato Grosso do Sul, a apresentação de espetáculo circense ou similar que tenha como atrativo a exibição de animais de qualquer espécie”, diz o artigo 1º.

Além disso, as cobras também não tinham qualquer documentação. Os animais foram apreendidos e serão encaminhados ao Cras (Centro de Animais Silvestres), em Campo Grande.

Saiba Mais