Rose Modesto confirma pré-candidatura ao Governo de MS pelo União Brasil

Conforme adiantado pelo Jornal Midiamax, Rose concorre em 2022 ao Governo
| 07/02/2022
- 14:06
Lançamento da pré-candidatura acontece no Hotel Deville
Lançamento da pré-candidatura acontece no Hotel Deville, em Campo Grande - Marcos Erminio, Jornal Midiamax

Em evento realizado no hotel Deville, em Campo Grande, na manhã desta segunda-feira (7), a deputada federal (PSDB) anunciou sua pré-candidatura ao Governo de , pelo União Brasil, conforme adiantado pelo Jornal Midiamax. 

O lançamento da pré-candidatura pelo União Brasil foi realizado em Campo Grande e transmitido pelas redes sociais. Rose lembrou da pandemia da Covid-19, disse ter perdido a avó materna e quatro primos para a doença. A pré-candidata ainda mandou um recado: “Não vou me juntar com os grandes para prejudicar os pequenos”.

A pré-candidata afirmou ainda que Mato Grosso do Sul já teve 11 governadores e trabalha para ser a primeira mulher a entrar na lista histórica. "Quero participar, contribuir, não quero inventar a roda, mas sim, fazer a roda girar”.

Ainda segundo a pré-candidata, não se reduz desigualdade sendo de esquerda ou direita. "A gente combate desigualdade, com sustentabilidade, sem populismo barato".

A transmissão do evento aconteceu pelas redes sociais e teve a participação de Athayde Nery, da ex-prefeita de Coxim, Dinalva Mourão e diversos políticos que acompanharam de forma remota o anúncio, somente com Rose Modesto no formato presencial. Rose anunciou ainda sua saída do PSDB, mas a desfiliação deve ocorrer apenas na janela partidária, entre março e abril deste ano. A filiação da parlamentar já era esperada no União Brasil e só faltava o anúncio para confirmar. 

O novo partido, criado pela fusão do DEM com o PSL, precisa apenas da homologação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A senadora Soraya Thronicke comanda a sigla no Estado.

Questionada sobre a pré-candidatura a vice, Rose afirmou que isso precisa ser construído, até 2 de abril — período que encerra a janela partidária. "Não existe nome tradicional. Não funciona mais entrar numa sala com cinco ou seis caciques, no ar-condicionado e definir o vice. Isso muda a cada eleição".

A pré-candidata afirmou ainda que todas as pesquisas mostram seu nome como possibilidade e as alianças também serão definidas até a janela partidária. "Estarei atenta a ter aliança com partidos, mas o nome que colocar à disposição como vice e Senado, tem que encontrar ressonância com a população de Mato Grosso do Sul. Vamos fazer escolha no momento certo".

Veja também

Relator da Comissão Processante votou pelo arquivamento do processo, que recebeu dois pareceres favoráveis para continuação

Últimas notícias