O ex-ministro de Governo Carlos Marun (MDB) confirmou nesta segunda-feira (22) que pode vir a concorrer como deputado federal pelo partido em Mato Grosso do Sul, caso o registro da candidatura de Jamal Salem, o Dr. Jamal, seja indeferido pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral).

Isso porque Jamal consta na lista do TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado) entregue ao TRE-MS com irregularidades ou pendências. Jamal tem uma condenação por improbidade administrativa enquanto secretário de Saúde de Campo Grande. Ele recorreu, mas a condenação foi mantida.

No entanto, há prazo para o partido e o candidato apresentarem defesa e tentarem reverter um possível pedido de impugnação do registro de candidatura.

Segundo Marun, não está nos planos concorrer, porque ele participa da coordenação das campanhas de Simone Tebet e André Puccinelli. No entanto, o faria para que o MDB concorresse com ‘chapa completa’. “Se estivesse [nos planos], eu teria sido candidato. Não me preparei e ‘liberei’ inclusive amigos e companheiros para o apoio a outros candidatos e candidatas. Porém, é imprescindível que o MDB dispute com chapa completa esta eleição e para tanto está analisando as possibilidades, em especial a manutenção da candidatura de Jamal. Sem chapa completa não vamos ficar!”, declarou.

Carlos Marun

O ex-deputado federal por Mato Grosso do Sul estava advogando em Brasília desde que deixou Itaipu, no ano passado, até este ano, quando voltou para as articulações políticas do MDB em MS.

Formado em 1999 na primeira turma de Direito da Unesp (Universidade Estadual Paulista), Marun foi integrante do grêmio estudantil e orador da turma, além de ser formado em Engenharia.