Depois de ter sido acusado pelo presidente da (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) Paulo Corrêa (PSDB), de usar politicagem para se promover com o reajuste dos servidores da Casa de Leis

Projeto de lei com o reajuste de 10% dos servidores da Assembleia

Renato Câmara criticou a fala de Paulo Corrêa. “Essa fala da Vossa Excelência foi muito ruim, de desmerecer o trabalho do parlamentar que usou a ética. Não foi nenhum oportunismo”.

Por sua vez, o presidente da Alems ressaltou que quem negocia por determinação da eleição é a e não a Corregedoria. O presidente ainda criticou os servidores e os chamou de rádio peão. “Não podemos deixar que a rádio peão da Casa possa fazer comentários que foi feito isso ou aquilo. A Mesa Diretora está ciente das suas obrigações”.

O deputado emedesbista saiu em defesa dos servidores da Casa de Leis. “Não é rádio peão, os funcionários comentam, eles me procuraram e eu encaminhei, não é rádio peão, é vontade de funcionários. Eles encontram os deputados nos corredores e fazem as reivindicações”.

Corrêa finalizou dizendo que a Mesa Diretora conversa com o sindicato. “Conversamos com quem tem a carta sindical”.