A para prefeito de uniu adversários de 2020 nas duas coligações. Em 11 de abril, os eleitores vão decidir quem entre Vanda Camilo (PP) ou Enelvo Felini (PSDB) será o próximo chefe do Executivo.

Ambos apostaram em vices que acrescentaram força às chapas. O tucano escolheu Moacyr da Vacaria (Patriota), terceiro colocado na última eleição. A prefeita interina terá a ex-primeira-dama Rosi Fiúza (MDB) como parceira.

Rosi é esposa de Daltro Fiúza, eleito no ano passado, mas impedido de assumir após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidir manter a impugnação da candidatura. Com isso, o TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) convocou novo pleito.

Apesar de ter sido crítico a Enelvo no ano passado, Moacyr aceitou compor chapa com o tucano. “Fiz algumas pesquisas, mostrava que entre os vices o dele seria o melhor nome. Acrescentava mais que os outros”, afirmou Enelvo.

O vice do tucano na eleição anterior, o ex-vereador Kennedi Forgiarini, é presidente municipal do PP, partido de Vanda. O MDB acabou aceitando apoiar a prefeita interina e reduziu a aliança tucana.

A coligação “Juntos por Sidrolândia” inclui ainda DEM, , Rede e Solidariedade. Já a chapa “A Esperança que Move Sidrolândia” é mais diversa, tendo PDT, PT, PTB, PSL, PL, PMN, PSB, PSD e .

A campanha começou na segunda-feira (15), mas já foi impactada. Enelvo testou positivo para a Covid-19 e deve permanecer longe das ruas nas próximas semanas. “Eu sinto que mais uma meia dúzia de dias e já vou estar liberado”, garante.

Já Vanda fez mistério sobre sua campanha, mas destacou que terá pouco tempo para angariar votos. “Eu estou trabalhando todos os dias e não posso esquecer que sou prefeita interina”, afirmou.