Dos 24 deputados estaduais de Mato Grosso do Sul, quatro são pré-candidatos a prefeitos no Estado, sendo que a maioria está de olho na prefeitura de Campo Grande.

O deputado Barbosinha (DEM) ex-secretário de Segurança Pública, anunciou sua pré-candidatura para prefeitura de Dourados, no fim do ano passado. 

Até então, ele tinha como possível concorrente o também deputado Marçal Filho (PSDB), que anunciou em junho, não ser pré-candidato. Em seu anúncio rejeitando a disputa, ele disse que continua sendo seu sonho ocupar a cadeira de chefe do Executivo municipal, mas disse não ser o momento.

Barbosinha também pode ter como concorrente o deputado Renato Câmara (MDB), apesar do emedebista não confirmar pré-candidatura até então. Ele disse ao Jornal Midiamax que com a desistência do colega Marçal Filho, o leque de possibilidades no município ficou aberto.

Entretanto, em Campo Grande, o MDB tem como pré-candidato o deputado Márcio Fernandes. O nome do parlamentar foi definido ainda em fevereiro, após o ex-governador André Puccinelli anunciar não querer disputar a prefeitura.

O PT também tem pré-candidato a prefeito e é Pedro Kemp. O partido busca uma parceria com siglas de esquerda como PSOL e PCdoB para compor chapa de vice, mas ainda não decidiu sobre alianças. 

Por fim, o deputado mais novo da Casa de Leis, João Henrique Catan (PL) também é pré-candidato a prefeito em Campo Grande. Ele anunciou que está na disputa durante sessão parlamentar após criticar o atual prefeito, Marquinhos Trad (PSD), pré-candidato à reeleição.