Política

Cerimonial erra e homenageado fica sem prêmio em evento na Câmara de Campo Grande

Era para ser um dia de homenagem e comemoração, mas 31 de maio de 2019 acabou sendo um dos momentos mais frustrantes dos 59 anos de vida do jornalista Geraldo Duarte Ferreira. Ele seria agraciado com uma medalha em celebração ao aniversário de 154 anos de Marechal Rondon, em sessão solene na Câmara Municipal de […]

Richelieu Pereira Publicado em 03/06/2019, às 13h54 - Atualizado às 18h00

Vereadores no plenário da Câmara Municipal de Campo Grande. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG/Arquivo).
Vereadores no plenário da Câmara Municipal de Campo Grande. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG/Arquivo). - Vereadores no plenário da Câmara Municipal de Campo Grande. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG/Arquivo).

Era para ser um dia de homenagem e comemoração, mas 31 de maio de 2019 acabou sendo um dos momentos mais frustrantes dos 59 anos de vida do jornalista Geraldo Duarte Ferreira. Ele seria agraciado com uma medalha em celebração ao aniversário de 154 anos de Marechal Rondon, em sessão solene na Câmara Municipal de Campo Grande. Um erro do cerimonial, porém, deixou a data marcada apenas por lembranças ruins para Geraldo.

Ex-presidente do SindJor-MS (Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul), Geraldo Duarte fazia parte da lista de 34 homenageados na cerimônia, na manhã de sexta-feira (31). Acompanhado da esposa e da filha, o jornalista falou com o cerimonial, que indicou uma cadeira no plenário, onde ele deveria permanecer durante a sessão, sob olhar de todos os convidados.

“Eu me apresentei e o cara [do cerimonial] marcou lá com a caneta marca texto: número 22, Geraldo Duarte Ferreira, homenageado pelo Projeto Rondon. Aí o rapaz me levou ao palco e apontou a cadeira onde eu ficaria. Olhei, mas estava com o número 21. Eu disse que não era a minha e falei com o Coronel que estava na cadeira 22. Só que ele falou que era dele. Então eu sentei e fiquei esperando”, relatou Duarte ao Jornal Midiamax, nesta segunda-feira (3).

Então a cerimônia começou, e os homenageados foram chamados um por um para receber a medalha. “Eu estava na expectativa. Quando chegou no 20, pulou para o 22. Aí eu estranhei, mas não iria reclamar e atrapalhar a sessão”, explicou.

Foram três horas esperando por uma homenagem que não veio. “Imagina a vergonha de ficar ali, com a sua família sentada vendo tudo. Eu, muito sem graça, desci e abracei minha família e fomos embora procurar um lugar para almoçar. Eu não podia falar que estava abalado… Mas fiquei muito mal, num estado de depressão muito grave”, disse.

A reportagem entrou em contato com a Câmara de Vereadores, que informou não ter registro de algo desta natureza ter ocorrido nos últimos 10 anos de sessões solenes. Já o cerimonial do evento reconheceu que houve um erro, mas não quis revelar detalhes. E garantiu ter pedido desculpas ao jornalista.

“Nunca imaginei passar tamanho vexame”, lamentou Geraldo Duarte.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas
Geraldo Duarte acabou ficando sem medalha. (Foto: Arquivo Pessoal)
Jornal Midiamax